Delação Premiada (2)

NOTA 3,0

A delação premiada, criada para colaboração de acusados de corrupção para diminuir a pena em troca de informações que ajudem a operação policial Lava Jato, nada mais é do que um luxo proporcionado para que os acusados, no mínimo, possam se redimir diante da justiça.

Ela não pode ser considera considerada uma injustiça, uma vez que o órgão responsável, a Polícia Federal, está fazendo justiça ao estado Estado. O indivíduo investigado cometeu ou foi cúmplice de um crime e está sendo julgado como qualquer outro.

Ademais Mesmo assim, ela pode ser considerada uma traição. Contudo, como é atribuído ao historiador Nicolau Maquiavel, "os fins justificam os meios". A delação promove o avanço nas investigações a fim de prender os maiores responsáveis.

Portanto, para evitar sequer precisar recorrer a esse mecanismo, é necessário não permitir, em primeiro plano, a entrada de criminosos na política por meio do voto consciente, que pode ser promovido por campanhas e pela internet através de aplicativos que denunciem candidatos com passados obscuros, além da manutenção da lei da ficha limpa.

Comentário geral

Texto fraco, confuso, superficial, desde o primeiro parágrafo percebe-se que há alguma coisa de errado no modo pelo qual o autor entendeu o texto, quando ele afirma que a delação premiada foi criada para a Operação Lava Jato, e que ela é uma espécie de luxo. Depois dessa introdução equivocada, vêm dois parágrafos que tentam mostrar os prós e contras da delação, mas não conseguem. Finalmente, a conclusão propõe a consciência do povo antes de votar para não ser necessário recorrer à delação premiada. É uma proposta que nada tem que ver com o tema da redação.

 

Aspectos pontuais

1) Primeiro parágrafo: a) a delação premiada já existia antes da Lava Jato. b) Ela não é um luxo, em nenhum sentido, e não redime os criminosos, apenas lhes proporciona benefícios caso forneçam informações que ajudem a investigação.

2) O argumento é tautológico: ela não pode ser considerada uma injustiça pois é usada por um órgão que faz parte da Justiça.

3) Terceiro parágrafo: a frase não foi atribuída a Maquiavel, ela é de autoria de Maquiavel, que, de resto, não era somente um historiador.

4) Quarto parágrafo: não se trata de criar meios para evitar a delação premiada. Não é esse o tipo de intervenção que a proposta de redação exige.

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 1,0
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 0,5
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 0,5
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 0,5
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 0,5
Nota final 3,0
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos