Delação premiada: justiça, injustiça ou traição?

NOTA 1,0

A lei de Número 12.850 criada 12.850/13, sancionada pela presidente Dilma Roussef, vem tem sido tratada como injustiça, pelas brechas que da a infiltrados na Operação Lava Jato.

Uma lei que permite que o acusado cumpra sua pena em regime semiaberto ou até mesmo que haja perdão judicial, não é uma lei cabível para aquele que cometeu um crime crime, seja direta ou indiretamente, de indiretamente. De todo modo modo, ela beneficia aquele de forma injusta e indagável questionável e injusta. Com relação contempla também aos investigadores da Operação que facilita a buscar pelos "suspeitos" e que haja a apreensão imediata. Por outro lado, contempla também aos investigadores, pois facilita a busca pelos suspeitos e a sua apreensão imediata.

Mas há quem diga que é um problema ético. Por ser de certa forma uma Delação "comprada" ético, por ser, de certa forma, uma delação comprada. E como fica a conduta ética? Reprovável. Se trata Trata-se de um ciclo ato recíproco, aonde que favorece ambas as partes.

Sendo assim, percebe-se então que a Lei lei está sempre favorecendo à aqueles àqueles que de alguma forma cometem crimes e que não recebem a cabível "punição" punição.

Comentário geral

Texto muito fraco, que começa com uma declaração confusa, que não chega a apresentar uma tese, escrita numa linguagem informal. Depois disso, o autor parece avaliar a lei da colaboração premiada pelo ponto de vista jurídico, afirmando que ela facilita as investigações. A seguir a reprova do ponto de vista ético e afirma que todos os criminosos têm de ser punidos. Em meio a tudo isso, ele lembra que a lei favorece ambas as partes. É o caso de se perguntar se ele entendeu de fato o que significa a lei da delação premiada: uma lei em que o delator é beneficiado, desde que as informações que dá ajudem a desbaratar um esquema mais amplo e nocivo. De resto, vale notar que sua linguagem, além de informal, é repleta de erros e problemas.

Aspectos pontuais

1) Primeiro parágrafo: a afirmação é confusa: que brechas são essas e, principalmente, quem são esses infiltrados?

2) Segundo parágrafo: o trecho em vermelho tem sintaxe truncada, mas parece que se pode entender o que o autor pretendia dizer, com a correção feita em verde.

3) Terceiro parágrafo: como um acordo que favorece as duas partes pode ser injusto? Talvez o autor pense que o favorecimento é desproporcional, sendo o benefício recebido pelo criminoso muito maior do que o recebido pela Justiça. Mas ele não deixa isso claro.

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 0,5
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 0,5
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 0,0
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 0,0
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 0,0
Nota final 1,0
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos