Democracia e redes sociais: como resolver esse duelo?

NOTA 5,0

Em ano de eleições eleições, no Brasil, cresce a expectativa da população de ir às urnas e escolher seus candidatos. Até o mês de outubro, boa parte do eleitorado ainda estará indeciso, enquanto outra parcela já estará ciente para digitar o número do candidato e confirmar seu voto terá escolhido seu candidato. Esta Essa decisão não é nada fácil, ainda mais quando se sabe que países a exemplo da Venezuela e do Brasil passam por instabilidade política. Para tentar driblar essa situação, a população vai em busca de informações que possam solucionar as crises políticas de seus países por meio da mídia, da internet, jornais e, mais recentemente – as recentemente, das redes sociais.

Nos últimos anos, o uso das redes sociais incentivou cada vez mais o eleitorado brasileiro, seja pelo crescimento populacional, como também pelo aumento no número de acesso às mídias virtuais virtuais, dentre elas o Facebook, Twiter, o Instagram e o Whatsapp, sendo este último, um esse último um dos principais na divulgação de informações dos futuros políticos. Esse aumento, por sua vez, pode trazer como consequências problemas no que tange a à veracidade dos fatos e das propostas de campanha, pois, parte do eleitorado brasileiro é compreendido por jovens de dezesseis a dezoito anos que, mesmo tendo seu voto facultativo, podem ser influenciados por notícias falsas e serem manipulados facilmente, absorvendo qualquer notícia que circula nela.

Cabe também destacar que, recentemente, a empresa Facebook, por meio do seu presidente Mark Zuckerberg, foi alvo de uma denúncia em que informações de milhões de usuários foram utilizadas sem o seu consentimento por uma empresa americana para fazer propaganda política. Informações como nome de usuário, profissão, local de moradia – seus gostos e hábitos e toda sua rede de contatos foram usadas para ajudar em campanhas políticas, entre elas, a do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Portanto, é cabível mencionar importante que os governantes e as instituições civis devem tomar atitudes urgentes que visam visem reduzir a incidência de fake news (notícias falsas) e de grupos virtuais em redes sociais que manipulam essas informações. É de fundamental importância que investimentos na segurança pública pública, mais precisamente em setores de inteligência inteligência, sejam aplicados na tentativa de solucionar esses problemas. Tais informações falsas e mentirosas não deixaram deixarão de existir, mas reduziram seriam reduzidas drasticamente.

Comentário geral

Texto predominantemente expositivo e não argumentativo. O primeiro parágrafo diz banalidades e prolonga a introdução até o parágrafo seguinte, que é onde se apresenta o tema da redação. Apresenta-se, mas não se reflete sobre ele: o autor apenas menciona fatos que geraram a proposta de redação. Isso vale também para o parágrafo seguinte, que traz um exemplo, o das eleições norte-americanas. Depois de expostos os fatos, o autor parte para a sugestão de intervenção, que é bastante genérica. De qualquer modo, o texto está relativamente bem escrito e os fatos apresentados são significativos, o que permite atribuição de uma nota 5,0, em vez de uma nota abaixo do limite de um texto regular.

Aspectos pontuais

1) Título: "duelo" parece uma metáfora exagerada da questão e o autor não justifica a escolha dessa metáfora no texto.

2) Primeiro parágrafo: a) as duas frases que abrem o texto são banalidades. Só se pode ter expectativa de votar em anos eleitorais e sempre existe gente que decide antes e gente que decide na última hora. b) A instabilidade política brasileira não chega a ser comparável à da Venezuela, que é muito mais grave.

3) Segundo parágrafo: a) Incentivou a quê? b) Com base em que informação o autor declara que o Whatsapp prevalece sobre as outras redes sociais, no caso da política? c) O raciocínio que encerra o parágrafo é confuso. O autor atribui o problema do uso político das redes sociais tanto ao aumento do público que a usa, quanto ao fato de os jovens usá-las. d) Também não dá para generalizar que o jovem é mais fácil de ser manipulado? Que dizer dos adultos pobres, humildes, semialfabetizados? Eles também não são um alvo preferencial da manipulação? e) Por que "futuros" políticos? Os próprio candidatos já fazem parte da política.

4) Quarto parágrafo: não se trata de ser ou não cabível, nem de mencionar ou não mencionar, o autor está apresentando aqui a sua conclusão. A conclusão, mais que cabível, é necessária numa dissertação.

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 1,0
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 1,0
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 1,0
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 1,0
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 1,0
Nota final 5,0
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos