Direito ou imunidade?

NOTA 3,5

Segundo Zygmunt Bauman, sociólogo polones polonês, a falta de solidez nas relações sociais, políticas e econômicas é característica da "modernidade liquida líquida" vivida no século XX XXI. O foro privilegiado – direito no pelo qual políticos e ocupantes de alguns cargos públicos não sejam são julgados pela justiça como "cidadãos comuns" – levanta prós e contras a essa questão.

Primeiramente, muitos acreditam que esse direito acoberta impasses causados por políticos, além de interromper a amenização da corrupção atual. Porém, alguns o veem como uma forma de apoio e um meio de equilibrar a administração Brasileira brasileira, proporcionando uma segunda chance aos dirigentes do governo, evitando assim uma desestabilização no país.

Estima-se que cerca de 58 mil autoridades usufruem desse privilégio, de acordo com a Folha de S. PAULO Paulo. Contudo, muitos desses beneficiados, ocupam beneficiados, ocupam cargos no qual em que não a necessidade da utilização dessa regalia, como policiais civis e alguns empresarios empresários estatais. Desse modo, esse direito também é visto como algo injusto, sendo uma imunidade que foge da justiça e igualdade social.

Por conseguinte, é essencial que haja formas eficazes que proporcionem um acordo entre ambos os lados, entre a sociedade brasileira e políticos. A liquidez desse direito de alguns cargos é fundamental, reduzindo assim o número de beneficiados por esse direito, possibilitando uma certa amenização no problema. Ademais, o Ministério da Segurança e o Ministério da Justiça devem fiscalizar e combater com mais precisão os empecilhos causados por políticos, tendo em vista cancelar esse direito em casos graves.

Comentário geral

Texto fraco, que começa com duas afirmações desencontradas no primeiro parágrafo, além de uma citação sem justificativa. Além disso, os diversos problemas graves assinalados em vermelho prejudicam o conjunto da redação, que se caracteriza pela demonstração de uma compreensão equivocada não só do tema, mas da própria estrutura de uma dissertação.

Aspectos pontuais

1) Primeiro parágrafo: a) qual a relação da modernidade líquida com o foro privilegiado? O autor não diz. b) Aplicar o conceito de Bauman ao século XX pode ser um simples erro de digitação, mas resulta num anacronismo. c) Por "essa questão" o autor se refere ao próprio foro privilegiado. Seria melhor, então, dizer que há opiniões contra o foro privilegiado, bem como a favor dele. Até porque há certa ambiguidade: "essa questão" também poderia ser a modernidade líquida.

2) Segundo parágrafo: a) absolutamente não se trata de "impasses". Trata-se de problemas, de desvios de conduta, de crimes. b) Também não se trata de "interromper amenização" nenhuma, mas de impedir o combate à corrupção. c) Foro privilegiado não dá "segunda chance" a ninguém. Ou o autor não sabe do que está falando ou tem uma visão equivocada da questão.

3) Terceiro parágrafos: existem empresas estatais, das quais o empresário é o Estado, os funcionários que as dirigem são executivos não empresários.

4) Quarto parágrafo: a) "formas eficazes" do quê? b) A "liquidez" a que o autor se refere aqui, evidentemente, não é a de Bauman, mas a utilização da mesma palavra gera confusão. c) Por que a liquidez reduz o número de beneficiados com o foro privilegiado? O que o autor quer dizer com isso? É um enigma. d) Sugerir que os ministérios citados cancelem o privilégio só demonstra desconhecimento de como funciona o Estado brasileiro.

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 1,0
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 1,0
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 0,5
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 0,5
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 0,5
Nota final 3,5
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos