Educação Física obrigatória; Artes, não.

NOTA 4,5

Artes e educação física são duas disciplinas que podem se tornar opcionais pela nova reforma do ensino médio. Há de se ponderar; porém, ponderar, porém, que são áreas com necessidades e finalidades diferentes.

Em se tratando da disciplina de educação física, ela é de suma importância para os estudantes e deve ser mantida como obrigatória, pois o exercício físico previne problemas cardiovasculares, obesidade e outras enfermidades, e ajuda até mesmo no desempenho dos alunos em matérias teóricas, porque já é conhecido comprovado pela ciência que essa prática melhora a memória e a cognição. Além disso, principalmente nas populações mais pobres, a escola pode se tornar o único lugar a onde se praticar exercícios, e com o advento do horário integral como norma geral às escolas, o sedentarismo tende a crescer significativamente.

Já em relação à disciplina de Artes, o quadro é distinto: trata-se de algo ligado à abstração. Necessário sim Necessária, sim, para a expansão do conhecimento e criatividade; porém, por ser algo mais subjetivo, pode ser substituído por outras atividades culturais sem a necessidade de obrigatoriedade como feiras e oficinas culturais integrando todos os alunos.

Portanto, são necessárias ações que resolvam tais impasses. A Educação Física não deve ser retirada das disciplinas obrigatórias, sob risco de até mesmo onerar o sistema de saúde com mais estudantes vítimas do sedentarismo e suas consequências. A disciplina de Artes; porém Artes, porém, deve ser de rotina daqueles oferecida somente àqueles que realmente se identificam com o assunto e desejam aprender mais. Assim, um ensino médio mais coerente com as necessidades dos estudantes, terá estudantes terá mais qualidade.

Comentário geral

Texto regular, com alguns problemas graves em termos de estrutura e de conteúdo. As considerações que o autor faz sobre as artes não fazem muito sentido. Ou seja, ele convence quando dá razões para a educação física ser obrigatória, pois apresenta um benefício concreto e inquestionável: o benefício à saúde. Quando tenta argumentar sobre artes ele não tem a mesma objetividade e não é convincente, até porque as alternativas que ele dá as artes (feiras e oficinas culturais) seriam, na verdade, um outro nome para as mesmas atividades artísticas.

Aspectos pontuais

1) Primeiro parágrafo: as duas declarações do parágrafo não se relacionam entre si. A primeira dá uma informação. A segunda diz que há que se considerar (mais do que ponderar) sobre o fato de serem disciplinas de natureza diferente. É preciso tentar relacionar as declarações. Por exemplo: Artes e educação física são duas disciplinas que podem se tornar opcionais pela nova reforma do ensino médio. Para saber se essa é uma medida adequada, devemos considerar, antes de mais nada, que se trata de disciplinas com finalidades diferentes. Notar que a frase em negrito estabelece uma conexão entre as duas declarações.

2) Segundo parágrafo: a) pode ser que seja comprovado que a prática de uma atividade física traga benefícios para a mente. Se esses benefícios estão diretamente relacionados à memória ou à cognição já é uma afirmação mais duvidosa, da qual o autor deveria mencionar a fonte. b) Essa relação entre período integral e aumento do sedentarismo é um delírio do autor. O fato de se frequentar a escola em tempo integral não significa abolir a educação física.

3) Terceiro parágrafo: O que seriam essas feiras e oficinas culturais? O que se aprenderia nelas? Muito provavelmente, artes. Então, o autor sugere trocar seis por meia dúzia. Quanto à questão da subjetividade das artes, é mais um disparate. O gosto é subjetivo. A arte não é necessariamente subjetiva ou não existiriam tendências como o realismo ou o naturalismo.

4) Quarto parágrafo: a frase é um lugar-comum das conclusões das redações escolares. Claro, todo problema precisa de solução. O que interessa é a sugestão que o autor da redação tem a dar (obrigatoriedade para educação física/opcionalidade para as artes). De qualquer modo, registre-se não há um impasse, que, a rigor, significa um problema sem solução, um beco sem saída. 

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 1,0
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 1,0
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 0,5
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 1,0
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 1,0
Nota final 4,5
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos