Educação libertária

NOTA 5,5

Colégios militares têm ganhado muitos destaques muito destaque por seu bom desempenho no Enem e na disciplina dos seus alunos, porém existem muitos questionamentos sobre a rigidez impostas rigidez disciplinar imposta e quais são os impactos disso no aprendizado, aprendizado e na construção da identidade e dos valores de cada educando.

A imposição no aprendizado através do autoritarismo foge dos padrões pedagógicos, os alunos aprendem pelo método da rigidez e do medo, parecem verdadeiros "robôs" que executam as tarefas pré-estabelecidas pela instituição, onde o senso crítico e o incentivo a criatividade praticamente não têm espaço. Assim como argumenta a professora Pilar Lacerda na frase "A escola de educação básica é o lugar da formação de valores, de conhecer e respeitar o outro. Do diálogo e da construção de normas comuns. Que cidadão está sendo formado neste modelo militar? A não ser que o jovem queira seguir carreira militar".

A escola não pode ser um lugar burocrático burocrático, é local para discussões e aprendizado, os alunos precisam se expressar e saber respeitar uns aos outros, é outros. É possível disciplinar os alunos de várias maneiras, apresentando desafios, despertando interesse pelas atividades pedagógicas e muitas vezes ouvi-lo para ouvi-los para, a partir de um interesse ou dificuldade dele deles desenvolver um trabalho, e trabalho e assim ver seus avanços.

Justificar que as escolas militares tem têm um bom desempenho no Enem não é um bom argumento, pois muitas escolas que não utilizam o método militar conseguem alcançar bons resultados como exemplo é o Colégio Objetivo que são destaquesresultados, como, por exemplo, o Colégio Objetivo, que se destaca nas provas, nas olimpíadas escolares e na nas melhores universidade do país. O que podemos concluir é que o modelo militar é mais fácil para ter controle sobre os alunos, pois se for indisciplinado eles forem indisciplinados as consequências realmente surgiram surgirão.

Comentário geral

Texto regular, com equívocos conceituais e um grave problema estrutural: o último parágrafo, que faz parte do desenvolvimento, inclui abruptamente uma conclusão que não faz muito sentido. Pelo lado positivo, o aluno tem sua opinião formada e procura defendê-la com argumentos que, principalmente no terceiro parágrafo, são válidos e sólidos.

Aspectos pontuais

1) Segundo parágrafo: Começa com uma frase ambígua e confusa, de caráter altamente subjetivo, e avança para uma caricatura exagerada da disciplina dos alunos de um colégio militar, sem apresentar nenhuma comprovação do que afirma. Pelo contrário, ele extrai da coletânea um trecho crítico aos colégios militares e deixa de levar em conta os que mostram uma posição diferente da sua.

2) Terceiro parágrafo: a) Claro que a escola não deve ser burocrática, mas burocracia não é uma exclusividade das instituições militares. b) desenvolver um trabalho pode significar qualquer coisa. O autor simplesmente não conseguiu expressar o que queria dizer.

3) Quarto parágrafo: a) o colégio mencionado como exemplo pode se destacar nas provas e olimpíadas escolares, mas não se destaca nas universidades. Ele pode se destacar por colocar grande parte ou a maioria de seus alunos nas universidades. b) A conclusão não faz muito sentido. De acordo com a gravidade da indisciplina as consequências vão ocorrer independentemente do fato do aluno estar ou não numa escola militar. Além do mais, essa conclusão é reducionista, corroborando a visão caricata dos colégios militares apresentada no segundo parágrafo.

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 1,5
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 2,0
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 1,0
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 1,0
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 0,0
Nota final 5,5
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos