Estupro: uma mancha na alma feminina

NOTA 2,5

Em tempos "modernos" a mente humana ainda possui as suas contundências machista machistas e falso moralismo.

Apesar das de as informações chegarem mais rápido as às pessoas através de meio de comunicações e redes sociais dos meios de comunicação e das redes sociais, as mesmas na maioria retém a maioria delas retêm apenas o básico e muitas vezes desnecessários para suas vidas.

Mesmo sendo um assunto delicado de se abordar e educar educar, infelizmente é algum algo muito comum de se de acontecer independente independentemente da classe social.

Costuma-se culpar a vitima vítima com pensamentos machista machistas, dando características as às roupas, insinuações, palavra de baixo calão calão, dando a entender que a pessoa procurou isso quando na maior parte do tempo vem da mente doentia do agressor.

A realidade é que ninguém tem o direito de ser tocado se não quiser, e quiser e o seu jeito de ser não é um convite a ser atacado por ninguém.

Uma maneira paliativa é trazer esse assunto nas escolas escolas, juntamente com o auxilio auxílio dos Órgãos Governamentais órgãos governamentais, trazendo informações aos jovens que serão os adultos do amanha amanhã.

Quanto as às punições advindas para ato aplicáveis ao ato, nem sempre ocasiona em ocasionam a transformação de caráter ao agressor que por sua vez ao cumprir se torna tão pior quanto antes.

Mas a Educação transformas pessoas costuma transforma pessoas. Costuma se dizer que:

Pensamento gera ação, ação gera habito, habito hábito, hábito gera caráter e caráter gera o seu destino.

O estupro causa em suas vitimas vítimas uma mancha na alma que alvejante nenhum tira, trazendo aqueles que não consegue conseguem superar a certeza da injustiça humana.

Que a educação possa ser o meio da prevenção desse ato desumano.

Comentário geral

Texto muito fraco, que se compõe de uma série de declarações avulsas e confusas sobre o tema, a grande maioria delas com erros gramaticais ou equívocos linguísticos. A própria quantidade de parágrafos do texto revela uma falta de conhecimento do uso da linguagem escrita. Às vezes, o autor não consegue sequer explicitar do que está falando. Para piorar, em termos de conteúdo, o texto é superficial e não consegue ir muito além de questionar a mentalidade machista e o fato da culpa da vítima, que é algo mais complexo do que ele dá a entender.

Aspectos pontuais

1) Primeiro parágrafo: a) Por que modernos está entre aspas? De resto, aparentemente o que o autor quis dizer era: nos tempos atuais. b) a mente humana é uma abstração e é uma expressão genérica demais. Contundências machistas é uma expressão metafórica e não está num contexto adequado, pouco significando de concreto aqui.

2) Segundo parágrafo: a) sobre o uso incorreto de mesmo, veja aqui

b) Como o fato de as pessoas reterem apenas o básico e, muitas vezes, desnecessário para suas vidas se relaciona com o tema do estupro? O trecho é uma divagação que fica isolada no texto.

3) Terceiro parágrafo: a) o autor subentende que o assunto a que se refere é o estupro, mas ele não menciona explicitamente isso nenhuma vez, prejudicando a autonomia que qualquer texto deve ter. b) Não se educa um assunto, mas sobre um assunto. Então, a expressão aborda e educa é incorreta. c) o que é algo muito comum de acontecer? O texto deixa oculto o sujeito de sua afirmação.

4) Quarto parágrafo: é totalmente desconexo em termos de sintaxe e de escolha do vocabulário, além de não apresentar de modo claro e conciso a ideia que o autor pretende expressar.

5) Sexto parágrafo: a) uma medida paliativa para quê? Mais uma vez o autor deixa tudo subentendido. b) o parágrafo se encerra com um clichê, um lugar-comum.

6) Sétimo parágrafo: a) a punição não tem necessariamente uma função socioeducativa e, na prática, a reclusão de estupradores na prisão visa antes de mais nada proteger a sociedade. b) pior é um adjetivo comparativo: você era ruim, ficou pior. Ficar tão pior quanto antes, portanto, é um disparate.

7) O oitavo e nono parágrafos deveriam ser um só.

8) Décimo parágrafo: a) mancha que alvejante nenhum tira é mais uma expressão metafórica inadequada, que soa como lugar-comum. B) o final do parágrafo é enigmático, sendo impossível para o leitor decifrar o que o autor quer dizer com a afirmação.

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 0,5
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 0,5
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 0,5
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 0,5
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 0,5
Nota final 2,5
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos