Extinção de empregos, apocalipse em menos de duas décadas

NOTA 3,0

Estima-se que que, em menos de duas décadas, países desenvolvidos tecnologicamente como EUA, Reino Unido, China, Coreia do Sul e outros, terão alguns dos empregos nas áreas administrativas, de transporte, vendas e serviços, construção e fabricação literalmente escassos do mercado de trabalho, já que estão sendo elaborados softwares avançados e que estão levando certos robôs à perfeição para realizar atividades que antes realizadas por humanos levava a perda de tempo e alto custo.

Alguns desses nossos colegas ainda não podem trabalhar sozinhos, muitos ainda precisam ser comandados por seres humanos, mas a meta esperada é que esses robôs possam realizar suas atividades sem comandos, o que preocupa muito pessoas que podem ter seus empregos roubados. Em um restaurante na cidade de Harbin, na China, garçons já foram substituídos por outros azuis e verdes capazes de receber clientes com 10 frases diferentes e reproduzir expressões faciais através de uma tela de LED. A grande multinacional de serviços online, Google, também vem testando carros capazes de se locomover sozinhos com ajuda de sensores e câmeras. Para Bill Gates, isso pode ser visto com pessimismo e otimismo. O segundo porque há chances de haver mais pessoas empreendedoras ou essas serem demandadas nas áreas que reinam o conhecimento humano. E o outro porque não sabemos a que ponto tal questão chegará.

Todavia, algo deve ser feito pelo governo para evitar efeitos indesejados como uma próxima revolução industrial. Impostos deveriam ser reduzidos para encorajar empresas à contratação de funcionários e torná-los competitivos às máquinas.

Comentário geral

Texto fraco, marcado pela prolixidade, por expressões equivocadas, pelo caráter essencialmente expositivo (e não argumentativo). O parágrafo inicial, que introduz o tema, apesar de mal escrito, é o único que cumpre sua função. Os outros dois não são propriamente nem um desenvolvimento, nem uma conclusão. Ou seja, a extrutura do texto não chega a ser dissertativa, de fato. De resto, as reflexões que se depreendem dos fatos apresentados são superficiais e ingênuas.

Aspectos pontuais

1) Primeiro parágrafo: note-se a prolixidade: o autor escreve muito para dizer o que poderia ser dito com muito menos palavras. Basicamente, a ideia que o parágrafo expressa é que, em algumas décadas, os países desenvolvidos vão substituir seres humanos por robôs nos empregos, seja no setor do comércio, da indústria ou no de serviços. Mas o autor não sabe fazer generalizações, uma vez que inclui especificações excessivas e desnecessárias. Isso para não falar das redundâncias e dos erros de regência.

2) Segundo parágrafo: a) aqui o autor começa de modo inadequado, querendo criar uma intimidade entre homem e máquina, ao chamar os robôs de esses nossos colegas. Para poder ser nosso colega, para poder se sentir sozinho, os robôs precisariam ser pessoas, o que não são, pelo menos ainda. b) Até nas pequenas expressões o autor fala demais: meta esperada; ora se é meta é porque se espera atingi-la... c) Mais uma vez, os robôs são personificados e se tornam ladrões de empregos... d) Outros azuis e verdes para designar os robôs-garçons também é uma expressão ruim, pois não explicita que se trata de robôs. e) O fim do parágrafo é confuso, não só pelo uso dos termos segundo e outro para se referirem especificamente a otimismo e pessimismo. Mas também por ambiguidades, como áreas em que reinam o conhecimento humano e tal questão.

3) Terceiro parágrafo: a) sugerir que algo deve ser feito é o máximo da indeterminação. b) Uma próxima revolução industrial seria indesejada? Como assim? Devemos encerrar as pesquisas e proibir os avanços tecnológicos? c) Criar impostos é a única sugestão que o autor concebe para resolver o problema? A impressão que se tem é que o autor já falou tantas coisas (desnecessárias e inadequadas), que cansou e compôs o parágrafo final de qualquer jeito, só para tentar forjar uma conclusão.

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 1,0
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 1,0
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 0,5
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 0,5
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 0,0
Nota final 3,0
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos