Filantropia sobre olhos vivos

NOTA 5,0

No Brasil existe um grupo de empresários (pelo nemo menos um) que quer segui seguir o exemplo dos norte-americanos e abri abrir um fundo de investimento filantropo filantrópico, para se aplica aplicar em instituições de combate a à exploração sexual de crianças e adolescentes.E É o que o Brasil precisa, porém tem porém há de se fazer certa certas ressalvas, afinal de conta nem quem invéster altas condias em torca de nada ninguém investe altas quantias em troca de nada.

Na atual situação do Brasil Brasil, faz-se necessário esse ato de boa fé, que que, de uma certa forma ajudara amenizá forma, ajudará a amenizar as injustiças sociais e longo prazo e, a longo prazo, poderá melhora melhorar um pouco o mundo em que vivemos.

Porém, nem quem é bobó ninguém é bobo, há muito mais por trás disso do que simplesmente filantropia, como Decarte filantropia. Como Decartes, temos de dúvida duvidar de tudo, e nesse caso de todos, não tudo e, nesse caso, de todos. Não podemos acredita puramente acreditar piamente que um magnata vai doar 60% de sua fortuna fortuna, como o Elie Hon Horn, só por amor ao próximo. Por exemplo no EUA exemplo, nos EUA, os investidores tem têm desconto fiscal proporcional a sua doação, no doação.

No Brasil não há nada disso, mas não ficaria supeso se dia para noite surpreso se, do dia para a noite, aparecesse um uma lei semelhante a essa dos Estados Unidos.

Por isso, a mídia e as ONGs devem fiscalizar esses fundo se associações fundos e associações, assim como governo o governo, para garantir idoedade a idoneidade desses fundos de investimentos e principalmente garantir que não haverá qualquer indícios indício de corrupção.

Comentário geral

O que chama a atenção nesse texto, em primeiro lugar, são os erros de ortografia, que são muitos, graves e recorrentes, desde o título. Mesmo assim, o autor consegue expressar com clareza suas ideias e defender com argumentos seu ponto de vista. Segue corretamente um raciocínio e a estrutura de uma dissertação. Por outro lado, os argumentos não são sólidos e têm uma validade bastante questionável, o que ajuda a puxar a nota para baixo.

Aspectos pontuais

1) Título: O autor começa mal, com erros já no título. Em português gramatical, o título seria: Filantropia sob olhos-vivos. Mas também não é bom começar um texto que deve estar na norma culta com uma expressão coloquial como olho-vivo.

2) Primeiro parágrafo: a) em primeiro lugar, o autor expõe de modo incorreto os fatos que originaram a proposta de redação. O que ele diz não aconteceu: nenhum grupo de bilionários brasileiro criou um fundo de investimento para combater a exploração sexual. É só ler a proposta com cuidado para ver que os fatos não são exatamente  como o autor expõe. b) Grupo de um? Em matemática existe conjunto unitário, mas, em termos de linguagem, grupo designa pelo menos dois indivíduos. c) Tirar o "r" final dos verbos o infinitivo não atrapalha a comunicação. Mesmo assim, é um erro grave para um aluno do ensino médio, pois demonstra um desconhecimento do infinitivo de todos os verbos da língua portuguesa.

3) Segundo parágrafo: o que o autor chama aqui de ato de boa fé não condiz com as reflexões que ele faz no parágrafo seguinte. Se a filantropia esconde interesses escusos, certamente ela não pratica atos de boa fé.

3) Terceiro parágrafo: é o núcleo duro da argumentação do texto e o autor acerta ao citar o ceticismo de Descartes. No entanto, mais uma vez, ele parece não ter compreendido os fatos. Em vez de examinar a realidade, isto é, o que aconteceu, qual é o fato que serve de tema, ele acredita piamente no estereótipo de que todo magnata é um explorador pilantra, que só beneficia a si próprio. Além disso, vai se contradizer quando fala na criação de leis que supostamente beneficiariam os praticantes da filantropia.

4) Quarto parágrafo: a) É claro que, num país onde a corrupção é enorme, deve-se desconfiar até da filantropia. Não faltam exemplos recentes de desvios de recursos por meio da Lei Rouanet, por parte de artistas famosos. Agora, o engraçado é o autor não confiar nos magnatas, mas confiar na mídia, nas ONGs e no governo. Com essas instituições não vale a mesma dúvida cartesiana que valia antes? É uma contradição. b) Não se trata de acabar com os indícios. Trata-se de acabar com a corrupção, que, por sinal, procura sempre esconder os indícios.

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 0,5
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 1,0
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 1,5
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 1,5
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 0,5
Nota final 5,0
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos