Fim do privilégio!

NOTA 2,5

O foro privilegiado é o benefício que permite que políticos e ocupantes de determinados cargos públicos não sejam julgados na primeira instância como os cidadãos comuns. No Brasil o benefício foi herdado nos tempos da monarquia. Porém, é usado pelos detentores de poder com a intenção de se esconderem de seus crimes.

Segundo o Jornal jornal El País, em 2016 2016, eram 3000 nomes detentores de foro privilegiado investigados. Doze meses depois depois, o número ultrapassou 6000 nomes. Dentre eles estão autoridades que ocupam ou ocuparam nos últimos cinco anos cargos com direito a foro especial por prerrogativa de função.

A distorção de uma regra que deveria servir para proteger os cofres públicos e aumentar a fiscalização das autoridades responsáveis por manejar recursos milionários, acaba milionários acaba servindo de escudo no enriquecimento fraudulento de seus beneficiários.

Os abusos são tantos que já não é sustentável a continuidade do foro. O seu fim só irá trazer melhorias na estrutura autoritária brasileira. Os beneficiários de hoje serão os condenados de amanhã.

Comentário geral

Texto fraco. O autor tem uma compreensão incompleta e confusa do tema. Além disso, predomina o caráter expositivo da argumentação, já que não há propriamente uma argumentação. O autor apenas expressa sua opinião sobre o tema no parágrafo final.

Aspectos pontuais

1) Primeiro parágrafo: termina mal. O foro privilegiado foi previsto pela primeira Constituição republicada de 1891. Ninguém se esconde de seus crimes. Esconde seus crimes. O foro privilegiado permite o julgamento por instâncias superiores, mas os crimes não ficam escondidos.

2) Segundo parágrafo: foram privilegiado é a mesma coisa que foro especial por prerrogativa de função. Logo, o parágrafo encerra com uma tautologia.

3) Terceiro parágrafo: o autor demonstra incompreensão do tema. O foro privilegiado não existe para proteger os cofres públicos nem fiscalizar autoridades.

4) Quarto parágrafo: o autor quis dizer algo como "estrutura do governo brasileiro". "Estrutura autoritária brasileira" não faz sentido.

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 0,5
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 0,5
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 0,5
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 0,5
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 0,5
Nota final 2,5
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos