Formandos em crise

NOTA 2,5

No Brasil, diante da turbulência na economia e na política, segundo pesquisa do Datafolha, 62% dos jovens almejam emigrar em busca de condições favoráveis para construírem suas histórias satisfatoriamente. Tais jovens que desejam emigrar, em sua maioria, pertencem as às classes A e B, e já concluíram ou irão concluir o ensino superior, o que do que se depreende a falta de investimento no que tange o governo e a falta de apoio por parte do mercado de trabalho para com os jovens formandos.

Pode-se mencionar, por exemplo, como um fator desanimador aos jovens, o fim do programa Ciência sem fronteiras Sem Fronteiras, que promovia a inserção dos estudantes brasileiros em instituições de ensino superior do exterior. Ainda convém lembrar a falta de perspectiva em relação ao futuro do país e os milhares de jovens desempregados. Segundo o Datafolha, 80% dos motoristas da empresa UBER têm curso superior, o que corrobora a falta de investimento do governo e de apoio por parte do mercado de trabalho, mostrando que talentosos formandos são, perceptivelmente, desprezados.

Nota-se que que, no cenário atual, a oportunidade tornou-se escassa, a insatisfação alastrou-se por todos os lados, a qualidade de vida está declinando, proporcionando dessa forma, declinando, o que gera problemas para todos, inclusive aos jovens que ingressam ao no mundo com o desejo de ascender.

Dessa forma, a mídia, como potencial veiculador de informações, debates, dentre outros, deve buscar a máxima aproximação com os vários públicos para conscientizá-la conscientizá-los sobre a atual realidade, fruto de más-gestões más gestões e, como público participativo participativo, a população deve reivindicar por uma uma reforma política que busque melhorar a situação atual em que a falta de investimentos, decorrentes dos desvios que causaram um enorme rombo nos cofres públicos, alastra-se pelo país.

Comentário geral

Texto fraco, em que o autor tenta, de modo confuso, expor os fatos que explicam a tendência à emigração dos jovens brasileiros. Nessa exposição, para piorar, há ambiguidades e redundâncias. A coesão dos três primeiros parágrafos ocorre somente em termos ideias, ou seja, não se faz uso dos recursos linguísticos coesivos, que dariam mais unidade ao texto. O mais grave, porém, é que como os fatos apresentados não são utilizados como premissas, não se extrai deles uma conclusão. Por isso, o autor dá um salto brusco rumo a sugestões de intervenção, no último parágrafo, onde também há equívocos conceituais.

Aspectos pontuais

1) Primeiro parágrafo: a) o primeiro trecho em vermelho é retórico demais. A mesma coisa poderia ser dita de forma mais sintética e objetiva. Simplesmente assim: em busca de um futuro melhor. b) Falta de investimentos em quê? A expressão "falta de investimentos", tal como foi usada, é genérica demais.

2) Segundo parágrafo: a) o exemplo deveria demonstrar a falta de investimento do governo e não o desânimo dos jovens, pois, segundo o autor, esse desânimo é consequência daquela falta. b) A conclusão é incorreta e a questão mais complexa. Nem todo motorista do Uber diplomado virou motorista porque não teve seu talento reconhecido. Pelo contrário, a retração da economia como um todo é o principal motivo da falta de postos de trabalho.

3) Terceiro parágrafo: "desejo de ascender"? Falta um complemento à expressão. Talvez desejo de ascender socialmente, de ascender na vida.

4) Quarto parágrafo: a proposta para a mídia é um tanto quanto enigmática, não fica claro o que a mídia deve fazer. Quanto à participação do público, o problema é exatamente esse, as sucessivas crises políticas e econômicas deixam o público desanimado, mais interessado em buscar uma solução individual, mudando para outro país, do que ficar tentando reformar o Estado brasileiro.

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 0,5
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 0,5
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 0,5
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 0,5
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 0,5
Nota final 2,5
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos