Fuga dos brasileiros

NOTA 3,5

Durante a Ditadura Militar no Brasil, muitos foram obrigados a sair do país, isso continuou após o seu fim em 1985, quando houve um período de recessão econômica no qual muitas pessoas decidiram sair do país. Hodiernamente, essa emigração ocorre em níveis maiores, mas como consequência de crises em diferentes âmbitos. A partir disso, faz-se necessário uma discussão sobre o porquê dos de os jovens estarem saindo saírem do Brasil.

Primeiramente, observa-se jovens insatisfeitos com a violência, problemas no atendimento hospitalar, e hospitalar e desigualdade social. Ainda, a diáspora brasileira costuma ir ao exterior em busca de melhores condições de vida, pois, percebem a dificuldade de obter oportunidades de trabalho bem remunerados remunerado, e educação de qualidade. Esses ficam desesperançados por verem pouco ser feito para melhorar a situação, pelo contrário, veem ela piorar enquanto toda a população é prejudicada. De tal forma prejudicada, de tal forma que preferem mudar-se para um país onde essas coisas ocorrem em níveis não tão significantes quanto no Brasil.

Em consequência da condição do Brasil, não só os jovens saem, mas também alguns terminam não fazendo a sua parte para melhorar o problema, ficam acomodados e esperando somente pelo governo. Também, a imigração e turismo são reduzidos, porque os estrangeiros não encontram vantagens em morar aqui. Além disso, alguns dos emigrantes sofrem com xenofobia, ou decepcionam-se com a demora e dificuldade em conseguir estabilizar-se.

Urge, portanto portanto, que medidas são necessárias para solucionar o tema trabalhado. O Estado deve financiar melhorias na nas estruturas escolares e contratação de professores, a fim de proporcionar mais vagas e grade curricular completa para os alunos. Ainda mais, o MS (Ministério da Saúde) pode criar mais Unidades Básicas de Saúde nos municípios e oferecer os profissionais adequados nelas, com o propósito de amenizar a crise nesse âmbito. Também, o Itamaraty deve orientar os seus funcionários a exporem as dificuldades encontradas no exterior aos futuros estrangeiros. Dessa forma, espera-se solucionar a diáspora juvenil brasileira.

Comentário geral

Texto fraco, principalmente pela prolixidade, a falta de coesão e os problemas de conteúdo, que ocorrem, muitas vezes, pela falta de domínio da linguagem escrita e da gramática.

Aspectos pontuais

1) Primeiro parágrafo: o autor considera que tomar a decisão de deixar o país é a mesma coisa que deixar o país obrigado, fugindo da prisão ou da morte. Não é. Os brasileiros que começaram a deixar o Brasil por problemas políticos não eram emigrantes, mas exilados. As sucessivas crises econômicas, durante o fim do regime militar e o início da democracia é que causaram a emigração.

2) Segundo parágrafo: a) a "diáspora brasileira" não vai a lugar nenhum. São os brasileiros que vão e esse fato é que pode ser chamado de "diáspora". b) Há muitos problemas de concordância verbal. Além disso, a partir desse parágrafo a prolixidade também atrapalha o texto.

3) Terceiro parágrafo: não tem foco. O autor trata de três tópicos autônomos sem mostrar como eles se relacionam na defesa de seu ponto de vista. Os tópicos são: a) acomodação dos jovens que não emigram. b) A queda na imigração para o Brasil, o que não é verdade: recentemente houve uma onda de imigração de haitianos e venezuelanos. c) A xenofobia contra os imigrantes no exterior. São fatos muito diferentes e os dois últimos (b e c) não estão relacionados ao tema da emigração.

4) Quarto parágrafo: a) O que urge é urgente e também necessário, então, o parágrafo começa com uma tautologia, além da obviedade de medidas são sempre necessárias para solucionar problemas. A maioria dos problemas não se resolvem sozinhos. b) É fácil jogar a responsabilidade no governo, mas é difícil entender a responsabilidade que cada órgão do governo tem na execução de ações para resolver problemas. Curiosamente, o autor começa falando em governo em geral, no âmbito da educação. Nos outros âmbitos menciona ministérios específicos, sendo que o Itamaraty atua fundamentalmente no exterior e não é de sua competência fazer campanhas de esclarecimento sobre as dificuldades da emigração.

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 1,0
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 1,0
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 0,5
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 0,5
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 0,5
Nota final 3,5
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos