Internação compulsória, ajudara o povo e a sociedade.

NOTA 1,0

É de conhecimento geral que o número de dependentes químicos aumenta a cada ano mais ano e se nós o povo nós, o povo, não aproveitarmos essa proposta, chance que o governo esta está dando, aqueles dependentes morreram morrerão e o número de drogados aumentara aumentará.

Nenhuma pessoa fica viciada nas drogas por escolha própria, o vicio ele própria. O vício vem sem a pessoa perceber, o traficante oferece um, depois dois, e quando a pessoa se vê, olha que passou dos limites, e para sair dessa situação será difícil, e é por esse e outros motivos que a internação deve ser feita, ajudar as a essas pessoas a saírem dos seus vícios fara fará bem não só a eles elas como também a sociedade, à sociedade: será muito menor o numero número de pessoas que vivem nas ruas, muito menor o numero número de dependentes químicos, aumentara aumentará o numero número de trabalhadores e pessoas que contribuirão para uma sociedade melhor.

Portanto medidas necessárias já foram tomadas para resolver o impasse, o que falta só é que a sociedade concorde, e com isso não estaremos mudando só a vida daquelas da pessoas pessoas, mas também da sociedade futura.

Comentário geral

 

Texto muito fraco, sob todos os pontos de vista. Em termos de gramática, destaque-se o desconhecimento das regras de acentuação, que leva o autor a usar verbos em tempo inadequado, com o pretérito mais-que-perfeito no lugar do futuro, respectivamente aumentara e aumentará. A explicação que o autor dá para o surgimento do vício é ingênua, assim como é banal a maior parte das afirmações que ele faz. Não há uma estrutura dissertativa, uma reflexão baseada numa linha de raciocínio, mas divagações superficiais sobre o tema em cada parágrafo. Finalmente o autor se mostra muito mal informado, quando diz que "nós, o povo" precisamos concordar com as ações do governo. Pesquisa Datafolha já mostrou que a maioria da população de São Paulo apoia a ação do governo.

 

Aspectos pontuais

1) O título tem dois erros, um de pontuação, outro de acentuação.

2) Primeiro parágrafo: o trecho em vermelho fica comprometido pelos erros de acentuação que refletem no uso inadequado dos tempos verbais. Sem a correção, o que o autor diz não paz sentido.

3) Segundo parágrafo: essa explicação da origem do vício é ingênua e superficial, inaceitável para um aluno do ensino médio que já deveria perceber a complexidade do tema. Fora isso, o raciocínio que conclui o parágrafo é óbvio em todos os sentidos: se livrarmos a maioria das pessoas do vício, claro, haverá menos viciados andando por aí. Isso será bom para a sociedade, porque vai se extinguir o problema social que é o uso do crack. São truísmos lançados arbitrariamente para prolongar formalmente o texto, o que só evidencia a falta de conteúdo.

4) Terceiro parágrafo: como já se disse, o autor termina exibindo como é mal informado. Todo mundo sabe que foram tomadas algumas medidas. A questão é se elas funcionam ou não e isso o autor nem sequer considera. De resto, já se aludiu à pesquisa que mostra que o apoio da população já está dado. Não precisa ser obtido.

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 0,5
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 0,5
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 0,0
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 0,0
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 0,0
Nota final 1,0
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos