Liberdade de expressão e intimidade/limites pessoais.

NOTA 0,0

É notório que a liberdade de expressão deve ser livre mais moderada não afetando livre, mas moderada, de modo a não afetar a intimidade de nenhum cidadão. Uma vez que a liberdade de expressão não é divulgar a vida pessoal de um individuo indivíduo e as leis previnem contra tal abuso.

Sabe-se que a liberdade de expressão é um meio de se defender á a si e a população contra algo que esta está prejudicando a sociedade, assim não envolvendo a intimidade, pois um ato não envolve o outro. Se expressar Expressar-se é um meio de mostrar sua opinião, mas sem afetar a vida pessoal de outra pessoa, que não deve por hipótese alguma ter que sofrer tal abuso na rede.

Alem disso Além disso, as leis ajudam á a punir esses abusadores que são chamados de "hackers" que invadem informações como redes-sociais redes sociais , bate-papos e contatos, expondo informações de total particularidade. Conforme a Constituição Federal de 1988, o individuo indivíduo que teve sua intimidade exposta pode receber indenizações, e informações e informações apagadas, não podendo ser divulgadas e o hacker sendo detido por abuso de informações pessoais.

Por tudo isso é importante esclarecer que a intimidade e a liberdade de expressão devem ser moderadas , pois pequenos detalhes podem prejudicar de imediato a vida social de uma pessoa. Sabendo disso disso, a mídia não deve expor tantas intimidades, a sociedade deve acusar menos e a família ajudar a essa pessoa passar por tal crise em sua vida. Pois como se diz o filosofo Paulo Freire "Não é saber mais ou saber menos. Há saberes diferentes".

Comentário geral

 

Texto muito fraco. Infelizmente, o autor não consegue produzir uma dissertação que siga a estrutura de introdução, desenvolvimento (argumentação) e conclusão. Ao contrário, ele se limita a repetir do primeiro ao último parágrafo a necessidade de usar moderadamente a liberdade de expressão para não ferir a intimidade alheia. Mesmo assim, ele não conecta esse ponto de vista com o que propõe o tema da redação (discutir o conflito entre direitos), revelando um entendimento equivocado da proposta. Na verdade, logo no início do texto, ao definir liberdade de expressão, o aluno já incorre numa tautologia (liberdade é ser livre), encerrando o texto com um contrassenso: a intimidade também deve ser moderada – como assim?

 

Aspectos pontuais

 

1) Primeiro parágrafo: começa com uma tautologia e termina com uma oração subordinada separada da oração principal por um ponto final, o que é um erro gramatical.

2) Segundo parágrafo: a) por mais que se esforce para definir a liberdade de expressão e dizer para que ela serve, o autor não consegue um mínimo de precisão: é sempre vago, genérico. Algo que prejudica a sociedade – tanta coisa se enquadra nesse rótulo, que é impossível saber exatamente ao que o autor se refere. b) O parágrafo se encerra com mais uma tautologia (expressar-se é mostrar sua opinião) e redundância (sem invadir a intimidade). c) Que rede? O caso que gerou a proposta de redação não aconteceu em redes sociais, mas em jornais.

3) Terceiro parágrafo: a) é evidente que a lei prevê punição a quem viola a intimidade alheia. Mas o que a proposta quer saber é: e quando a liberdade de expressão é mais relevante que o direito à intimidade? b) Receber informações apagadas? Como se recebe uma informação quando ela foi apagada e já não existe?

4) Quarto parágrafo: a) entende-se o que o autor quer dizer com a moderação no caso da liberdade de expressão. E no caso da intimidade? Eu posso ser moderadamente íntimo de qualquer outra pessoa? Intimidade, a rigor, não tem meio termo. b) Quais são as tantas intimidades que a mídia expõe? A sociedade deve acusar menos, quem e do quê? c) Qual a relação da citação do educador Paulo Freire com o direito à privacidade e a liberdade de expressão?

 

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 0,0
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 0,0
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 0,0
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 0,0
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 0,0
Nota final 0,0
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos