Mariana: será que foi negligência?

NOTA 3,5

Vemos um grande declínio no sistema capitalista em que vivemos, cada vez mais desastres causados por humanos vem vêm acontecendo; isso era de se esperar porque há tanta desigualdade entre as pessoas, o próprio governo Brasileiro brasileiro é desigual onde foi considerado um dos países mais corruptos do planeta. Então surge uma pergunta: Foi foi negligência o desastre de Mariana?

Podemos observar que de uma certa maneira foi uma grande negligência sim, pois ainda ninguém conseguiu explicar os motivos de tal rompimento, e isso já demostra uma grande falta de interesse por parte dos responsáveis pela proteção da barragem. Ainda há muitas dúvidas a serem esclarecidas, e por quê?, quê? Não deveriam os próprios responsáveis se explicarem explicar perante a mídia e se esforçarem esforçar em fazer o melhor possível para que esse problema seja resolvido? Agora, quando o assunto é de interesse de outros, o problema se resolve do dia para o outro, só por causa disso já vemos a negligência existente no nosso país.

Não irei criticar pois, criticar, pois não posso concluir de maneira negativa o problema, mas basta apenas perguntarmos: se as barragens foram feitas por nós, humanos, não era para a barragem proteger e não deixar romper se romper, não era esse o objetivo? Porque Por que aconteceu isso?

Não sabemos quais serão as medidas para solucionar tal problema e se vão solucionar o problema solucioná-lo de fato, mas sabemos de algo, que, se os responsáveis por isso não se importarem, poderá haver tragédias piores do que essa que ocorreu em Mariana, e poderá trazer mais consequências piores no meio ambiente trazendo possivelmente mais e piores consequências ao meio ambiente.

Aspectos pontuais

1) Primeiro parágrafo: começa com uma verdadeira salada ideológica, misturando fatos genéricos, de natureza diferente, para tentar explicar o rompimento da barragem de Mariana. Em primeiro lugar, não há indícios de que o capitalismo esteja em declínio, já que até a China comunista se tornou, de fato, capitalista. Em segundo lugar, como a desigualdade entre as pessoas contribui para o rompimento de uma barragem? Para piorar não é o governo do Brasil que é desigual, mas a sociedade brasileira e, sintaticamente, onde não serve para fazer a conexão correta entre as ideias como pretende o autor. Além de confusa e equivocada, a declaração não faz sentido sintaticamente.

2) Segundo parágrafo: a) tal rompimento pressupõe que o autor já mencionou um rompimento anteriormente, o que de fato não aconteceu. b) Ainda há dúvidas a serem esclarecidas. Perfeito! Agora perguntar por que elas devem ser esclarecidas é um disparate! Elas tiem de ser esclarecidas para esclarecer as causas do problema e evitar que ele se repita, ora! c) Quem são esses outros cujos interesses se resolvem do dia para a noite? O que, realmente, o autor está tentando dizer?

3) Terceiro parágrafo: a) começa em primeira pessoa do singular (irei) e passa para a primeira do plural (perguntarmos). b) O que significa dizer que não irá concluir de maneira negativa o problema? Para começar, problema não se conclui: soluciona-se.

4) Quarto parágrafo: os responsáveis se importarem é pouco. Não se trata de se importar. Todos os envolvidos estão se importando com o problema. O que falta é compromisso com uma solução definitiva.

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 1,0
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 1,0
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 0,5
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 0,5
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 0,5
Nota final 3,5
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos