Não é vingança, é justiça

NOTA 5,0

Pena capital é um processo legal, pelo qual uma pessoa é morta, como punição por um crime cometido. Essa decisão é judicial, onde sendo que o autor pode ser executado por assassinato, espionagem, estupro, corrupção política, entre outros.

O Brasil por sua vez está pensando em adotar essa pratica, e obviamente prática e, obviamente, seria uma ótima escolha. Um país em que tem Num país em que ocorrem 12 assassinatos de mulheres e 135 estupros por dia, dados levantados pelo conforme dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, seria como um reajuste na sociedade. O país utiliza já prevê a pena de morte, em casos excepcionais, como crimes em casos de guerra. O que está acontecendo acontecendo, atualmente, não poderia ser considerado como uma guerra? Rebeliões, assassinatos em séries série, entre outros. A justiça brasileira é muito falha, muitas das vezes vezes, deixa o criminoso impune.

A pena capital não é uma certeza de um país melhor, mas, o criminoso quando liberado mas o criminoso, quando liberado, não cometerá mais crimes, vai reduzir a lotação dos presídios, o país irá prosperar, porque não vai está estar alimentando facínoras, os bandidos pensariam duas vezes antes de cometer um crime, além disso ele "pagaria" com sua própria pele, ao que ele fez ao um inocente.

Por algumas pessoas, isso é visto como vingança, mas, pelo contrario contrário, é justiça. Ver justiça ver que o crime cometido não ficou sem punição.

Comentário geral

Texto regular, independentemente do radicalismo simplista do autor. Apesar dos vários problemas pontuais, o autor sabe comunicar o seu ponto de vista e apresentar argumentos (nem sempre sólidos) para defendê-los. É metade do caminho andado na produção de uma dissertação argumentativa.

Aspectos pontuais

1) Primeiro parágrafo: a) começa com uma tautologia: pena de morte significa ser punido com a perda da vida. b) A segunda frase, também redundante, tem uma ambiguidade terrível: o autor do que? Da decisão? Claro que não, mas o autor deveria deixar isso claro, escrevendo o autor do crime.

2) Segundo parágrafo: a) como assim, por sua vez? Não se falou das vezes de nenhum outro país. b) Impossível dizer com exatidão o que o autor chama de reajuste.

3) Terceiro parágrafo: o raciocínio é tortuoso. O criminoso que escapar da pena de morte não cometerá mais crimes? Por quê? Se ele escapou uma vez, provavelmente pode escapar de novo. Todos os argumentos aqui são lugares-comuns, redundantes e óbvios.

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 1,0
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 1,0
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 1,0
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 1,0
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 1,0
Nota final 5,0
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos