Não podemos perder a nossa luta

NOTA 4,0

Há cerca de 70 anos, foi criada criada, depois de muita luta luta, a CLT (consolidação das leis de trabalho Consolidação das Leis do Trabalho), no governo de Getúlio Vargas, uma grande conquista do povo brasileiro, uma grande conquista do povo brasileiro, no governo de Getúlio Vargas, mas esses direitos podem ser perdidos aos poucos através da com a terceirização da atividade-fim de uma empresa, se essa não for executada com muita cautela.

O custo que um patrão tem com um funcionário terceirizado, é, sem dúvidas, muitos menos muito menor do que com o de um funcionário contratado diretamente, essa diretamente. Essa economia acaba aumentando o lucro do patrão, e patrão e, consequentemente, diminuindo diminui o do seu funcionário, aumentando ainda mais a desigualdade social vivida no do país.

Além da diminuição do salário, alguns outros problemas podem vir a à tona, como o atraso das férias, o aumento da carga horária, a precarização do serviço, um exemplo são os professores que atualmente são contratados através de concurso público, e não precisariam mais obrigatoriamente passar por essa prova. Ademais, temos o apadrinhamento político, que é um problema que pode se agravar.

Portanto, medidas são necessárias para resolver o impasse, deve-se deve haver uma forte fiscalização para que não ocorram crimes contra as leis trabalhistas, e trabalhistas e um projeto de lei que assegure que os concursos públicos não serão extintos ou diminuídos por conta das terceirizações, para que o menos menos pessoas sejam prejudicadas.

Comentário geral

 

Texto fraco. Começa bem, mas desanda a partir do terceiro parágrafo. Essa relação entre a terceirização e concursos públicos não faz muito sentido. A terceirização visa principalmente o setor privado. De resto, pode-se pensar que a terceirização no Congresso Nacional evitaria aqueles absurdos comuns no Poder Legislativo, que às vezes paga mais de 20 mil reais para um garçom ou um motorista. Enfim, não é o caso de discutir a fundo a questão nesse comentário, mas o fato é que com seu exemplo dos professores e concursos públicos mostra que não entendeu muito bem o que é a terceirização. Também fugiu do tema ao falar do apadrinhamento, que ocorre com ou sem a terceirização. A conclusão é uma mistura de clichê com propostas inadequadas.

 

Aspectos pontuais

 

1) Terceiro parágrafo: a) o autor escolhe um exemplo inadequado, o dos professores de escola pública e o fim dos concursos públicos. Em princípio, não é essa profissão, nem esse o setor em que a terceirização vai ser aplicada. Ainda que fosse, evidentemente, ninguém vai deixar de selecionar os trabalhadores, pois a concorrência entre os que procuram emprego continuará a existir. b) O apadrinhamento e o nepotismo são problemas do setor estatal. Como ele pode ser agravado pela terceirização? O autor não diz e o leitor só pode fazer conjecturas.

2) Quarto parágrafo: a) Medidas são necessárias para resolver o impasse é uma expressão exclusivamente retórica. Todo problema exige medidas que o solucione. A questão é dizer quais são essas medidas. b) Novamente: não há essa relação direta entre terceirização e concursos públicos.

 

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 1,0
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 1,0
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 0,5
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 1,0
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 0,5
Nota final 4,0
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos