Novos mercados

NOTA 5,5

Muito se questiona a cerca debate acerca dos avanços tecnológicos e seus males e benefícios para a sociedade. Hoje, o que mais se questiona é a influência negativa da tecnologia no mercado de trabalho, afinal, trabalho. Afinal, um dos principais parâmetros para de uma nação próspera, é o baixo índice de desemprego.

Na atual conjuntura mundial, na qual que os estudiosos costumam chamar de, a de quarta revolução industrial, preza-se por prezam-se meios de produção com o melhor custo benefício, ou seja, se produz mais, em menor tempo.

Esteiras motorizadas eram e ainda são excelente meio de produzir em alta grande escala. Atualmente Atualmente, as esteiras são equipadas com braços mecânicos que operam através de software e, assim assim, dispensam grande intervenção humana.

Embora pareça uma invasão robótica sem precedentes, que acabaria eliminando vários postos de trabalho, tem que se é preciso ponderar o vasto potencial da tecnologia embarcada utilizada nos computadores e robôs operados por software. O potencial para novos mercado mercados de trabalho é enorme, apesar de exigir mão de obra qualificada. Ainda assim, existem outras perspectivas para o meio trabalhista os trabalhadores. De acordo com o SEBRAE, há uma tendência de mercado por produtos exclusivos e customizados, algo ainda inviável para a robótica. Tal tendência se confirma, por exemplo, no sucesso e permanecia permanência, no mercado, de grifes de bolsas, como Louis Vuitton. Todas as grifes de mercado caracterizam-se por exclusividade e produção manual.

Em suma, cabe ao mercado acompanhar aos avanços tecnológicos com medidas de qualificação dos trabalhadores, aplicando ampliando a oferta de novos cursos nas universidades focados nas universitários voltados para as novas tecnologias que surgirão. Enfim, postos de mercado se fecharão, outros se abrirão, e há ainda aqueles que ultrapassarão as barreiras do tempo.

Comentário geral

Texto razoável, embora o autor se perca um pouco em seu raciocínio, seja por se atrapalhar com as palavras, usando-as inadequadamente, seja por não expressar completamente as ideias de que dispõe. Além dos muitos problemas de linguagem, o conteúdo fica prejudicado na medida em que o autor não consegue nomear corretamente o que quer descrever: quando fala em esteira motorizada, por exemplo, ele quer se referir à linha de montagem, mas a linha de montagem é muito anterior à quarta revolução industrial, que se alicerça na informática e nas telecomunicações e não na mecânica. De qualquer modo, há um esforço para argumentar e uma estrutura dissertativa que salvam o texto e revelam o potencial do autor.

Aspectos pontuais

1) Primeiro parágrafo: repetir palavras não é propriamente um erro, mas demonstra pobreza de vocabulário. Principalmente aqui, onde o verbo questionar poderia ser substituído por vários sinônimos (sugerimos o debater).

2) Segundo parágrafo: melhor custo-benefício significa principalmente gastar menos (custo) e produzir mais (benefício). A questão do tempo é secundária nessa relação.

3) Terceiro parágrafo: já se comentou que certo seria falar em linha de montagem e, ainda assim, não é essa a questão central da revolução da informática.

4) Quarto parágrafo: a) o autor fala em potencial, mas não diz que potencial é esse. Potencial de ou para quê? b) A frase é confusa: melhor seria inverter os termos e dizer que os produtos exclusivos e customizados são uma tendência do mercado atualmente. c) Feitos manualmente não significa necessariamente que nenhuma máquina é usada na produção. As tradicionais máquinas de costura, por exemplo, não foram aposentadas, caso contrário não se consegue produzir em grande escala. A questão, aqui, é que o aluno particularizou demais o seu exemplo e misturou as máquinas de revoluções passadas com os recursos da atual. De resto, exclusividade não significa necessariamente um item único.

5) Quinto parágrafo: bastava falar em novas tecnologias. É impossível ensinar tecnologias que surgirão, ou seja, que ainda não existem.

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 1,0
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 1,5
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 1,0
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 1,0
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 1,0
Nota final 5,5
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos