O grande medo das mulheres no século XXI

NOTA 3,5

O estrupo estupro, crime que vem alcançando índices cada vez maiores ao longo dos tempos, ocorre desde a segunda Segunda guerra mundial, quando russos estupravam mulheres alemãs e comunistas. Tal ato sexual afeta diretamente a vida da vítima, seja ela mulher ou criança, deixando marcas apara a vida inteira, como problemas psicológicos e afetando seu modo de viver. E poucas são as denúncias registradas no Brasil.

Apenas 35% dos casos de estrupo estupro são registrados no país, esse número país. Esse percentual tão pequeno deve-se ao fato de que muitas das mulheres são ameaçadas pelos homens que ás as violentam, outras por vergonha e medo de como a sociedade possa julgá-la. Aquelas que denunciam, passam denunciam passam por tratamentos psicológicos para conseguir viver normalmente. O medo de voltar a caminhar sozinha, de sair para trabalhar, e trabalhar e até mesmo de ter um relacionamento amoroso com outro homem, são homem são as consequências causadas por tal crueldade.

O número Os números desse crime contra crianças abaixo de 12 anos também são altos. essa Essa violência pode vim vir de dentro de casa. Tios, cunhados irmãos, são e irmãos são os principais acusados nas denúncias. Já existe uma lei em vigor contra o estrupo estupro, o acusado pode ter uma pena de até dez anos de prisão, mas muitos ainda ficam impunes, outro fator que leva a vitíma a não querer denunciar.

Esse é um problema que deve ser bastante discutido pela sociedade e por as autoridades responsáveis juntamente com o governo, investindo na educação da população, população e levando informações em escolas e na televisão, com a ajuda de profissionais como professores, médicos e psicólogos. A família também tem que participar da vida da criança criança, ensinando valores morais desde pequenos desde muito cedo. Essa é uma questão de moral e também de saúde pública.

Comentário geral

Texto fraco, de caráter expositivo e não argumentativo. O autor elenca uma série de fatos acerca do estupro, mas não os utiliza como premissas para gerar uma conclusão. Além de não cumprir esse requisito da proposta, a linguagem deixa a desejar, devido ao número alto de erros gramaticais. Em termos de conteúdo, também, não há muito de positivo, pois o autor é superficial em sua exposição de generalidades sobre o tema. Note-se particularmente o segundo parágrafo em que cada período apresenta um fato isolado, sem relacioná-los entre si.

Aspectos pontuais

1) Primeiro parágrafo: a) De onde o autor tirou a ideia de que o estupro só começou a ocorrer a partir da Segunda guerra mundial? Foram frequentes os estupros praticados pelos soldados do Exército Vermelho contra as alemãs, mas os comunistas eram esses mesmos soldados, vindos de toda a União Soviética (e não só da Rússia). De resto, o estupro existe desde a Pré-História. b) O autor afirma o óbvio e, para piorar, se repete três vezes, ao dizer que o estupro afeta a vida das vítimas. c) Sem mais nem menos, o autor muda radicalmente seu foco na declaração final. Ele estava falando em termos históricos e se referindo à Europa. De repente, lembra-se de informar que o crime não costuma ser denunciado no Brasil.

2) Terceiro parágrafo: a) Notar que o autor usava o verbo ser no plural referindo-se a um sujeito singular (número). Nossa correção preferiu passar o sujeito para o plural porque é assim que geralmente se diz em português. b) vim no lugar de vir é um erro crasso.

3) O quarto parágrafo termina de modo surrealista, com essa reunião de elementos de natureza totalmente diversa, como moral e saúde pública. De resto, o que o autor quer dizer quando fala que o estupro é um caso de saúde pública?

 

4) Vale notar que o título é inadequado, pois não há no texto nada que justifique ou comprove ser esse o maior medo das mulheres na atualidade.

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 1,0
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 0,5
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 0,5
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 0,5
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 1,0
Nota final 3,5
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos