O ladrão que não perde ocasião nem razão

NOTA 0,0

De acordo com o texto da íntegra da Folha de São Paulo, a ladra aproveitou-se da ocasião. Em ambientes sem câmera e nem a presença de quaisquer fiscalizações, configura-se caminhos abertos com grandes oportunidades de corrupção, sistematizando-a ativamente e passivamente a reproduzir seus efeitos.

Recentemente (2016), a justiça brasileira aprovou uma Lei contra abuso de autoridade de policiais no contato direto com civis para que não cerceiem a liberdade de expressão, e só assim, preservará direitos humanos de defesa e acusação ante Lei. Há que ressaltar que corrupção não trata-se de estar ideologicamente doutrinado entre uma forma de pensar ou outra, mas sim quando assume-se à frente suas consequências e é exposta para a sociedade atitudes que por ocultação de informações, elas repetem-se exaustivamente – assim como foi deflagrado no compartilhamento de informações na rede social Facebook e a enorme repercussão pela descrença moral – título deste tema.

Por isso, pela falta de zelo de fiscalização e baixa audiência constante de regiões fora de centros urbanos, eclodem e surpreendem locais que extraem ilegalmente florestas brasileiras através do extrativismo ilegal de fauna e flora ou roubo de animais nativos (tema para o filme Rio 2) que levam a extinção de espécies.

Não zelar por fiscalizações através de um excelente manejo da liberdade de expressão por autoridades locais, contribui de maneira furtiva para a corrupção sistêmica na consciência da sociedade brasileira.

Comentário geral

Infelizmente, o texto é lamentável e demonstra total falta de domínio da comunicação por meio da escrita. Não há sintaxe, não há lógica, a escolha do vocabulário segue critérios subjetivos que não são os do idioma português, de modo que nada se salva do conjunto do texto, ainda que o leitor possa extrair dele uma única ideia: para acabar com a corrupção é preciso fiscalização. Mas isso é muito pouco. O que prevalece no texto é a inexistência de sentido, de sintaxe, de norma culta, de dissertação, além de erros gramaticais, de concordância, regência, ortografia, etc.

Aspectos pontuais

1) Primeiro parágrafo: não é uma introdução, pois o autor não se dá o trabalho de explicar ao leitor quem é a ladra de que fala. Com isso, ele não dá a seu texto autonomia. Quem não souber de antemão o tema não teria como entender exatamente quem é a ladra e como ela se aproveitou de qualquer ocasião. No fim do parágrafo, o autor apresenta sua tese (a falta de fiscalização faz o ladrão), mas também acrescenta coisas sem nenhum sentido acerca da sistematização ativa e passiva da corrupção. Quem tentasse dizer as mesmas coisas com outras palavras não conseguiria, pois não dá para entender o que disse o autor.

2) Segundo parágrafo: aqui há um exemplo de agramaticalidade: a escolha e a combinação de palavras não resulta em frases ou orações completas, que transmitam ideias ao leitor, que estabeleçam comunicação. Há ideias nesse trecho? Quais são elas? O agrupamento aleatório das palavras, por meio de regras subjetivas que não seguem os padrões da língua, é simplesmente indecifrável.

3) Terceiro parágrafo: aqui, mais uma vez, a agramaticalidade predomina, apresentando trechos completamente absurdos, como regiões de baixa audiência e locais que extraem florestas. O que tem audiência, no sentido lato, são meios de comunicação e não espaços geográficos. Um local não pode praticar nenhuma ação, além de situar-se num contexto geográfico. São as pessoas que podem extrair algo do local.

4) Quarto parágrafo: vale o mesmo que foi dito sobre os anteriores, mas o caráter absurdo das declarações se agravou ainda mais.

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 0,0
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 0,0
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 0,0
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 0,0
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 0,0
Nota final 0,0
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos