O que contamina o homem não é somente o que sai da boca...

NOTA 4,5

Saudações, V. Exc.ª, os transgênicos são alimentos geneticamente modificados, que foram criados com a promessa de resolver a crise mundial de abastecimento e pela escassez de área para plantar.

Com a manipulação genética, é possível desenvolver grãos e outros gêneros alimentícios mais resistentes às pragas e secas, contudo, ainda é cedo para afirmar que tal alteração seja nociva à saúde humana ou não.

Há quase quinze anos da lei 10.688, que liberou o uso da engenharia genética para manipular a soja, tornando-a resistente a um herbicida, não existe comprovação científica suficiente que ateste seus efeitos prós ou contras. Desse modo, é salutar necessário que tal produto tenha em sua embalagem um rótulo classificando-o como transgênico.

Isso já acontece e torna-se transparente para nós consumidores, no nós, consumidores. No entanto, tramita no Senado Federal, casa da qual V. Exc.ª faz parte, um projeto, o PLC nº 34, que altera a Lei de Biossegurança para liberar os produtores de alimentos de informar ao consumidor sobre a presença de componentes transgênicos, quando inferior a 1% da sua composição.

Acredita-se Acreditamos que com essa decisão, seremos prejudicados, enquanto consumidores, pois independente pois, independentemente do percentual de mudança na composição de um produto produto, temos o direito de saber o que estamos levando a à boca.

Para finalizar, contamos com o apoio e influência de V. Exc.ª para barrar este projeto.

Atenciosamente,

J.E.B.

Comentário geral

Texto regular. É pena que o autor comece mal, explicando coisas desnecessárias (o que são transgênicos, por que eles surgiram), em vez de ir direto ao assunto: o consumidor tem o direito de ser alertado sobre a presença de transgênicos no alimento que vai comprar. Também contribuem para diminuir a nota os problemas de linguagem, que vão da informalidade a problemas gramaticais.

Aspectos pontuais

1) O título, além de longo, é um jogo de palavras inadequado, que faz uma alusão gratuita aos evangelhos.

2) Primeiro parágrafo: a) o tratamento Vossa Excelência, quando usado como vocativo, o que é o caso aqui, transforma-se em Excelência, simplesmente. O autor faz uso correto dessa forma de tratamento na última linha da redação. b) A explicação, além de desnecessária, não é completamente correta: não se trata só de modificação genética, mas da introdução de material genético de outra espécie.

3) Terceiro parágrafo: a) efeitos pró ou contra o quê? Aliás, efeitos do quê? Da soja, da lei? b) Não estamos falando do rótulo, mas do símbolo do transgênico no rótulo.

4) Quarto parágrafo: a) o que se torna transparente para os consumidores? O autor não diz. b) É preciso lembrar ao senador que ele faz parte do Senado? Será que ele não sabe disso?

5) Quinto parágrafo: melhor usar tudo na primeira pessoa do plural.

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 1,0
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 1,0
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 0,5
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 1,0
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 1,0
Nota final 4,5
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos