O que o colonizador deixou

NOTA 5,0

Diferente de Diferentemente dos países do Oriente Médio, a intolerância religiosa não teve resultou em conflitos armados no Brasil. Contudo, isso não anula a gravidade dessa situação. Enquanto a constituição Constituição condena a intolerância de cunho religioso, líderes de algumas denominações religiosas defendem a intolerância contra atacam ateus e praticantes de religiões de matriz africana.

Com o avanço do pentecostalismo e neopentecostalismo no Brasil, a influência dessas religiosas seitas religiosas se manifesta na sociedade brasileira. O proselitismo religioso é está presente no Brasil, a bancada evangélica é uma prova disso. Deputados que são são eleitos por estes fiéis fiéis dessas religiões, para privilegiar esse mesmo grupo com leis discrepantes ao estado laico laico, que é institucionalizado no Brasil.

A perseguição dos praticantes de religiões de matriz africana é sistemática desde a época do Brasil colonial, quando o país ainda era considerada uma "nação cristã". Nos libertamos Libertamo-nos das mãos do colonizador e mantemos maus hábitos e preconceitos do colonizador mas mantivemos seus maus hábitos e preconceitos.

A intolerância religiosa, como todo preconceito, é fruto da ignorância. Este quadro vergonhoso é, também, culpa do não cumprimento das leis que são bem claras. O preconceito é a parte mais abjeta da mente humana.
 

Comentário geral

Texto razoável, relativamente bem escrito, que apresenta problemas de conteúdo. Em primeiro lugar, ele dá uma dimensão vaga do problema, sem deixar claro qual a intensidade da intolerância que ele afirma existir. Em segundo lugar, há um equívoco em considerar que, sendo o Estado laico, os religiosos não podem ter representação no Parlamento. Não só podem como têm. O que esses representantes não podem é impor seus valores religiosos ao país com base em dogmas e artigos de fé. Em terceiro lugar, colocar o problema como oriundo da colonização é uma simplificação histórica. No Brasil desenvolveu-se o fenômeno do sincretismo religioso, que aproximou as religiões afrobrasileiras das religiões cristãs. Por fim, o texto não apresenta uma solução para o problema. Conclui apresentando o que lhe parece ser a causa do problema e fazendo um juízo de valor sobre o preconceito.

Aspectos pontuais

1) Primeiro parágrafo: o que o a luno quer dizer é que, apesar de não haver conflitos armados, há intolerância religiosa no Brasil e que ela gera situações graves.

2) Segundo parágrafo: fazer proselitismo religioso significa captar prosélitos, converter descrentes, conseguir novos fieis. Há sim proletismo religioso no Brasil. Tanto o cristianismo, como o islamismo, são religiões que fazem proselitismo. Contudo, o fato de existir uma bancada evangélica não é prova disso e os parlamentares evangélicos não fazem proselitismo no Parlamento.

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 1,0
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 1,0
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 1,0
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 1,0
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 1,0
Nota final 5,0
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos