Os males da falsa informação

NOTA 3,0

A mídia e a internet são grandes aliadas na propagação de informações devida à agilidade informações, devido a sua agilidade, porém se o conteúdo a ser transmitido for falso, elas se tornam armas nas mãos de mentirosos. As pessoas que não possuem senso crítico são muito influenciadas por qualquer tipo de notícia.

Com o avanço da tecnologia tecnologia, as pessoas têm acesso muito rápido a diversos acontecimentos mundiais através de um clique. Muitos problemas aparecem em decorrência de uma informação distorcida ou mentirosa. O Brasil passa por um momento muito turbulento na política e muitas inverdades são divulgadas com a intenção de destruir a imagem de um político. Pode-se citar o que aconteceu com a ex presidente ex-presidente Dilma Rousseff, que teve sua imagem arruinada pela mídia e internet, como o seu governo já estava enfrentando sérios problemas de gestão, as falsas notícias que eram divulgadas, contribuíram divulgadas contribuíram para a sua saída da presidência.

Além disso, a maioria das pessoas não possuem possui capacidade de analisar e questionar os fatos apresentados, elas acreditam em tudo que leem. Os opositores aproveitam dessa condição e começam a divulgar falsas informações. Um exemplo disso foi o que ocorreu com a Deputada deputada Maria do Rosário, que recebeu diversas ofensas porque foi divulgado divulgada uma falsa notícia na internet em que ela defendia os bandidos e era contra a polícia. Apesar de já ter desmentido diversas vezes, seu nome ainda é citado por muitos, como a deputada que defende bandidos, tudo isso porque as pessoas não buscam se informar melhor, não procuram outras fontes e se deixam levar pela primeira notícia que leem.

Portanto Portanto, é preciso que os veículos que prestam informações apurem melhor antes de publicar uma notícia, principalmente as redes sociais, onde muitos acham que podem postar o que quiserem, mesmo que não seja verdade. É preciso que as pessoas questionem o conteúdo da informação e busquem por outros textos que relatam o tratam do mesmo assunto, para que assim saibam diferenciar o que é verdade e o que é mentira.

Comentário geral

Texto fraco. A linguagem deixa a desejar, sob o ponto de vista da clareza e da gramática. Chega a prejudicar o conteúdo, embora, nesse âmbito, existam equívocos conceituais e falta de argumentação, em especial quando o autor traz exemplos da política brasileira. Assim, ele diz que a deputada Maria do Rosário (PT) é vítima da falsa acusação de defender bandidos. Até aí, tudo bem. Mas por que essa acusação é falsa? O autor não diz, não apresenta nenhum fato conteste a acusação. Só diz que ela é falsa. Isso não basta para alguém poder avaliar se a acusação é falsa. Pode ser que seja falsa, mas, para convencer o leitor – e é esse o objetivo de uma dissertação –, é preciso apresentar argumentos. 

Aspectos pontuais

1) Primeiro parágrafo: a) mídia é o conjunto dos meios de comunicação, inclusive a internet. Logo, não faz sentido falar em mídia e internet. b) A afirmação de que os meios de comunicação podem ser armas nas mãos de mentirosos é correta, mas deveria estar relacionada com a afirmação que vem depois, ao fim do parágrafo. As mentiras divulgadas por meios de comunicação podem iludir quem não tem senso crítico.

2) Segundo parágrafo: a) começa repetindo o que foi dito no anterior com outras palavras. b) A análise do impeachment é simplista ao lançar a culpa do processo às mentiras da mídia. Aliás, o autor comete um lapso ao dizer que a culpa é da mídia, mas o que governo já enfrentava problemas de gestão. Não terão sido os problemas de gestão que desencadearam a insatisfação popular? É ingênuo acreditar que, num país democrático, a imprensa como um todo tem tamanha capacidade de manipulação sobre os cidadãos. Aliás, a ideia de um golpe da mídia é uma ideia pós-verdade.

3) Terceiro parágrafo: a) começa manifestando um preconceito, o de que a maioria das pessoas é incapaz de analisar os fatos e formar uma opinião. O autor da redação tem o direito de se considerar mais esclarecido e acima da maioria, ao formular essa acusação. Mas o leitor não é obrigado a acreditar nele. Então, como se prova que a sua acusação é verdadeira? O ônus da prova cabe à acusação. b) É interessante e correto o autor apresentar exemplos do que lhe parecem acusações falsas, seja contra a ex-presidente, seja contra a deputada. Mas é preciso apresentar motivos, razões, de modo a convencer o leitor.

4) Quarto parágrafo: primeiro, os meios de comunicação eram mentirosos. Agora, são somente negligentes, ao não apurar a veracidade do que veiculam. Mas, mesmo supondo que o autor tem razão, quem publica coisas nas redes sociais é o público de um modo geral. Não há uma instância das redes sociais que obrigue os internautas a checar as informações que veiculam em suas postagens. 

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 0,5
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 0,5
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 0,5
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 1,0
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 0,5
Nota final 3,0
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos