Pós-verdade, opinião pública e democracia

NOTA 5,5

A comunicação tornou-se de fácil acesso, em acesso. Em questão de segundos, milhões de pessoas assistem a um vídeo, leem uma matéria ou assistem a um programa. No entanto, à medida que crescem cresce o número de leitores e telespectadores, cresce também o número de programas e informações, sendo elas de todas as espécies, informativas, críticas, opiniões, entre outros outras.

Muitas das informações encontradas não são totalmente ou de fato reais, a maioria são deturpadas ou baseadas é deturpada ou baseada em achismos, o que influencia aqueles que usam as redes sociais, sites ou assistem a tal programa.

Todos têm o direito de expressar sua opinião, e não mas não de impô-la ao outro. Ao redijir uma matéria ou publicar algo, deve-se ter certeza que estão baseadas de que se está baseado em fatos, e fatos e, caso queira opinar, deve deve-se deixar claro que é um pensamento e não uma ordem ou uma verdade absoluta.

Os cidadãos devem também analisar aquilo que estão apresentado apresentando e não aceitar como algo incontestável, pois nem tudo o que está na internet ou televisão está certo. Cada pessoa deve buscar informações e analisa-las analisá-las.

Comentário geral

Texto regular. De positivo, tem a linguagem simples, mas clara e objetiva. Em termos de conteúdo, deixa bastante a desejar. Limita-se a constatar que o grande acesso a meios de comunicação velozes facilita a difusão de inverdades e que o destinatário tem que refletir e analisar a informação, para evitar ser manipulado. Note-se que isso, no entanto, não considera propriamente o conceito de pós-verdade, que é mais complexo do que a simples mentira. Além disso, a ideia de democracia só foi mencionada no título, ficando apenas subentendida no restante da redação.

Aspectos pontuais

1) Primeiro parágrafo: note como se repetem palavras e ideias nos trechos em vermelho. Não é um erro, mas demonstra pouco domínio da linguagem. Já falar em informações informativas é absurdo.

2) Segundo parágrafo: o que o autor está dizendo, textualmente, é que o fato de as opiniões se basearem em achismos influencia os que usam as redes sociais. Mas não é por isso que essas opiniões influenciam as pessoas. Essa é uma questão mais complexa, sobre a qual o texto deveria ter refletido mais.

3) Quarto parágrafo: ambiguidade. Quem é o sujeito de estão apresentando? Não podem ser os cidadãos, que estão assistindo e não apresentando. Mas o que garante que o autor usou o verbo na terceira pessoa do plural para tornar o sujeito indeterminado? Aparentemente, o autor não conseguiu se expressar de modo correto.

 

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 1,5
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 1,0
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 1,0
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 1,0
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 1,0
Nota final 5,5
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos