Topo

Banco de Redações

O UOL corrige e comenta 20 redações. Envie a sua sobre o tema da vez


REDAÇÕES CORRIGIDAS - Fevereiro/2019 Posse de armas: mais segurança ou mais perigo?

Redação corrigida 480

Posse de armas: será tal medida eficaz?

Erro Alteração Correção

Segundo Benedetto Croce, a violência não é força, mas fraqueza, nem nunca poderá ser criadora de coisa alguma, apenas destruidora. Com essa frase ideia, Croce leva a crer que a liberação da posse de armas não será capaz de gerar a paz, tampouco, preserva-lá preservá-la.

É indubitável que há um sentimento de insegurança da na população Brasileira brasileira, sendo que uma parcela parte dela acredita que que, portando armas armas, estará em igualdade com assaltantes e irá poder se defender. Porém, se até policiais são mortos ao reagirem a assaltos, o cidadão comum não está mais seguro com uma arma na mão.

Outrossim, mais armas em casa em casa levanta levantam a questão do feminicídio, visto que que, segundo a ONU, o Brasil é o 5º país no ranking mundial de países que mais matam mulheres. Como a grande parte das vítimas são assassinadas por parceiros dentro da própria residência, a posse de armas teria um efeito catastrófico.

Portanto, é notório que que, para o estado Estado, é muito mais cômodo deixar a questão da segurança nas mãos dos cidadãos, do que tentar aperfeiçoa-la aperfeiçoá-la. O governo deverá investir em segurança pública, para que o mesmo não se sinta desprotegido caso não porte uma arma, aumentando o número de ações para apreensão de armamentos ilegais. Aumentar o número de armas, mesmo que legais, no Brasil, é um verdadeiro tiro no pé.

Comentário geral

Texto fraco. O autor não segue uma linha de raciocínio para defender seu ponto de vista sobre o tema. Faltam coerência e coesão.

Competências

• 1) O texto é razoável em termos de linguagem, mas o autor se expressa mal diversas vezes. No primeiro parágrafo, quase dá a entender que o falecido filósofo italiano Benedetto Croce se manifestou sobre a situação das armas no Brasil de hoje. O uso de “o mesmo”, no último parágrafo, é muito incorreto, por se referir ao próprio governo e não é a ele que o autor pretende se referir. Há também um erro linguístico que gera um erro conceitual. O tema é a posse de armas e não o porte de armas.

• 2) O autor teve alguma compreensão do tema, mas, como dissertação argumentativa, seu texto deixa muito a desejar, pelos problemas apontados a seguir.

• 3) A confusão entre posse e porte de armas é grave, pois se trata de dois conceitos diferentes, dos quais só um é o tema da redação. A ideia de policiais reagirem a assaltos não dá conta do que acontece de fato. Os policiais têm obrigação de reagir a assaltos. É a sua profissão. Sim, muitos deles morrem. Outros matam criminosos. Há um argumento válido aí, mas o autor se expressou mal. Deveria ter dito que, se até policiais podem ser mortos por criminosos, essa probabilidade é ainda maior para os civis. O argumento do feminicídio é inconsistente. Muitas mulheres são mortas a facadas. Então, deve-se proibir o uso de facas em casa? Por que as armas teriam um efeito multiplicador sobre o feminicídio?

• 4) O texto não é coeso como uma dissertação deveria ser. O primeiro parágrafo é uma divagação. O segundo introduz o tema e já parte para uma argumentação equivocada. A argumentação prossegue de modo inconsistente, mas, até aí, o autor está argumentando contra o porte (deveria ser posse) de armas. A conclusão que ele tira das premissas de que as armas são perigosas para os civis é que o Estado está terceirizando a segurança pública. Como assim?!

• 5) A conclusão, além de inadequada, pelos motivos apontados acima, é retórica. O autor conta com o efeito que a expressão metafórica “dar um tiro no pé”, fazendo uma espécie de brincadeira linguística que não se justifica diante de um problema sério que o tema traz à discussão.

Competências avaliadas

As notas são definidas segundo os critérios da pontuação do MEC
Título nota (0 a 1000)
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 120
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 120
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 80
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 80
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 80
Nota final 480

Redações corrigidas

Título nota (0 a 1000)

Os textos desse bloco foram elaborados por internautas que desenvolveram a proposta apresentada pelo UOL para este mês. A seleção e avaliação foi feita por uma equipe de professores associada ao Banco de redações.

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012.

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.