Prejuízo mundial

NOTA 1,5

A história de uma região e de um país são é de extrema importância e riqueza para o ser humano, sendo informações constituídas de gerações em gerações que formam certa cultura ou ideologia. Atualmente no Brasil, segundo a fonte Folha de S. Paulo, ouve houve um incêndio de grandes proporções no dia 02/09/2018 (domingo). O Museu Nacional, na Quinta da Boa Vista, na zona norte do Rio. Logo nota se, perdas notam-se perdas incalculáveis pela desatenção e o descaso do com o patrimônio cultural.

Considerado o Museu de antiguidade, de interesse internacional, com magnitude de vinde vinte milhões de peças, sendo uma delas, Lusíada, um crânio humano, considerado o uma delas Luzia, o fóssil humano mais antigo já encontrado na América. No entanto, talvez seja difícil dizer o motivo pelo do terrível acontecimento, convém lembra lembrar, por o prédio possuir uma estrutura antiga e não estar recebendo verbas de manutenção para troca de fios elétricos e construções de locais mais apropriados para turistas.

Por outro lado, o descaso foi alarmante não só por causa da má distribuição de verbas por conta do governo, mas também pela destruição do patrimônio mundial, de todas as sociedades. Tendo em vista, varias várias décadas para construção no sentido cultural, em segundos tudo ser destruído.

Desse modo com as ideias de Adam Smith "A riqueza de uma nação se mede pela riqueza do povo e não pela riqueza dos príncipes". Somado a isto, em consideração pelo descuido de terceiros e a falta de melhorias, se conclui que nada é sem sua história. Sendo assim que o governo procure estabelecer apropriações de melhorias para o Museu Nacional e que não deixe, com parcerias de empresas, outros incêndios acontecer acontecerem de modo que não haja mais danos para a memória dos seres humanos.

Comentário geral

Texto muito fraco. O autor entende o tema apenas parcialmente e se expressa precariamente por escrito. É possível extrair do texto algumas ideias, mas sempre envoltas em grande confusão, seja por questões de sintaxe ou vocabulário.

Aspectos pontuais

1) Primeiro parágrafo: a) começa de modo agramatical, com sintaxe truncada e vocabulário inadequado. b) O incêndio é um fato público e notório. Não é necessário mencionar uma fonte. c) Em seguida, o autor enuncia uma declaração sem sentido, uma vez que desprovida de verbo. E tenta com o "logo", concluir um raciocínio que não existe nesse parágrafo introdutório.

2) Segundo parágrafo: a) começa com uma oração subordinada que não pode ser subordinada, uma vez que não há a oração principal. Não bastasse a uso inadequado de vocábulos, como "magnitude", por exemplo. b) A mistura surrealista do fóssil Luzia com o poema "Os Lusíadas", de Camões, torna a impressão do parágrafo ainda pior. c) A sintaxe da declaração final também é confusa demais, para não falar nas questões semânticas, que denotam uma incompreensão de todos os aspectos envolvidos com o fato do incêndio no Museu Nacional.

3) Terceiro parágrafo: além das banalidades e equívocos, termina com outra frase agramatical.

4) Quarto parágrafo: a) a citação de Adam Smith não tem nada que ver com o tema. b) Após a citação seguem algumas frases desconexas, que não chegam a ser uma sugestão de intervenção, posto que o núcleo das ideias expostas (por exemplo, "apropriação de melhorias") não tem significado.

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 0,0
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 0,5
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 0,5
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 0,5
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 0,0
Nota final 1,5
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos