Topo

Educação

Banco de Redações

O UOL corrige e comenta 20 redações. Envie a sua sobre o tema da vez


REDAÇÕES CORRIGIDAS - Novembro/2019 Um réu deve ou não ser preso após a condenação em 2ª. instância?

Redação corrigida 400

Prisão precoce!

Inconsistente Erro Correção

Atualmente o número de processos criminais no Brasil é muito grande, com isso grande. Com isso, a prisão após a condenação do réu em instância, se instância se torna insensata, pois as prisões brasileiras estão superlotadas, e superlotadas e esse fato supracitado só piora tal situação.

Em primeiro lugar lugar, devemos destacar que uma decisão nesse sentido favorece a injustiça. Além disso disso, no direito penal brasileiro existe um grande número de recursos que devem ser respeitados. Uma respeitados, uma vez que é direito do réu permanecer em liberdade até que se esgotem todos os recursos disponíveis.

Dessa maneira maneira, para mudar a realidade do nosso país país, o Governo Federal deve criar leis que proíbam a prisão em 2ª instância. Como disse Desmóstenes Demóstenes: "É necessário que os princípios de uma política sejam justos e verdadeiros", Ou ou seja, deve ser preso quem realmente merece ser preso!

Comentário geral

Texto insuficiente. É simplista e até displicente. Não chega a ser uma dissertação: não há uma introdução. O primeiro parágrafo é o único que apresenta efetivamente um argumento. Os outros são opiniões do autor, sem nenhuma fundamentação além da retórica: "deve ser preso quem realmente merece ser preso". Pode haver afirmação mais vaga do que essa? Seria necessário, no mínimo, esclarecer o que significa de fato "merecer" a prisão. Não bastassem os problemas estruturais, a linguagem é confusa: veja-se que o autor fala em um "fato supracitado", quando ele referiu-se acima a mais de um fato. Ou então, na ambiguidade de "nesse sentido". Uma decisão em que sentido? A favor ou contra a prisão em segunda instância? De resto, na conclusão, além da citação genérica de Demóstenes, que poderia se aplicar a vários casos e não apenas ao que está em questão, jogar um problema constitucional, da alçada do Judiciário, nas mãos do Governo Federal, isto é, do poder Executivo, é uma mostra clara de que o autor não entendeu os fatos que motivaram a proposta de redação.

Competências avaliadas

As notas são definidas segundo os critérios da pontuação do MEC
Título nota (0 a 1000)
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 80
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 80
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 80
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 80
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 80
Nota final 400

Redações corrigidas

Título nota (0 a 1000)

Os textos desse bloco foram elaborados por internautas que desenvolveram a proposta apresentada pelo UOL para este mês. A seleção e avaliação foi feita por uma equipe de professores associada ao Banco de redações.

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012.

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.