Quem é que está livre de ser Narciso na vida?

NOTA 6,0

O mito grego de Narciso, narra Narciso narra a história de um jovem que se apaixona por sua própria figura, deixando de lado a apaixonada ninfa, Eco ninfa Eco. A sociedade atual, imediatista e individualista, tal como é, traz a questão: Quem quem é que está livre de ser Narciso na vida?

Estudos sugerem que a educação dada pela família, pode família pode influenciar em uma auto-confiança autoconfiança exacerbada por parte dos jovens. Mas, além da educação familiar, existe também, aquela exercida pela sociedade. A lógica de da concorrência, seja ela, acadêmica ela acadêmica e/ou de mercado, sustentam sustenta o "culto ao eu", na medida em que o marketing pessoal é a regra do jogo e vence aquele que melhor sabe se vender.

ainda, as ainda as redes sociais, como sociais como palco do narcisismo. O microcosmo onde as pessoas tentam de diversas formas reproduzir o que vêem veem na mídia e ter seus 5 cinco minutos de fama, assim como as celebridades da TV. Tratamento fotográfico, roupas novas, conquistas, qualidades, sejam elas genuínas ou não, tudo isso, é isso é exposto na tentativa de concretizar uma auto-afirmação autoafirmação e obter reconhecimento do outro por meio de curtidas e comentários.

Portanto, a própria atmosféra atmosfera cultivada pela sociedade atual, que tira Deus e o místico do centro do universo e concede ao homem essa grandeza, mediante seus avanços cognitivos e técnológicos, atesta que ninguém está livre de ser Narciso na vida. Narciso, sou eu, você, e tudo que se cultiva tendo o "eu" como princípio, meio e fim. Sobre isso, diria Rita Lee, que Lee que egoísta é a pessoa que se interessa mais por si do que por mim, narcisista, é narcisista é a pessoa que é mais bonita que eu, artista, a pessoa mais famosa que eu e a vítima, eu. Por que Porque eu faço parte da turma do "eu me acho", mas você também, afinal, ninguém está livre de ser Narciso na vida.

Comentário geral

O texto é até bem escrito e percebe-se a intenção de provocar sensações no leitor, especialmente no parágrafo final e na última linha. Mesmo assim, não é uma dissertação estruturada, que persiga uma linha de raciocínio e conduza a uma conclusão. Para piorar, o autor não consegue demonstrar que ninguém está livre de ser Narciso hoje em dia, mesmo que ele repita essa tese desde o título até a conclusão. Não basta se apoiar na citação de Rita Lee, cuja fonte o autor não apresenta. Tudo o que ele faz é apontar o que, em sua opinião, são as causas do narcisismo (família, marketing, redes sociais, materialismo). Mas essas causas não tornam narcisistas todos as pessoas do mundo. Estar exposto a elas, pode ser, sim, um risco, mas não uma obrigatoriedade. Se ao menos o autor indicasse qualquer sugestão de como lidar com o problema, teria pontuado na competência 5 e permitido que lhe fosse atribuída uma nota maior, que o texto certamente merece, se fosse avaliado por suas qualidades intrínsecas. Contudo, essas qualidades não atendem aos requisitos objetivos de uma dissertação argumentativa.

Aspectos pontuais

1) Primeiro parágrafo: a sociedade não traz questão nenhuma. Uma sociedade centrada no individualismo e no imediatismo pode levar seus integrantes a se questionarem sobre o narcisismo, como faz o autor da redação. Note-se, no entanto, que a questão é meramente retórica, pois o autor já a respondeu no título. Então, a introdução é pior parte do texto.

2) Quarto parágrafo: a) talvez o materialismo e o antropocentrismo tenham uma relação com o narcisismo contemporâneo, mas não passam um atestado de que ninguém está livre de ser Narciso no mundo de hoje. b) Diria Rita Lee? Como assim? Ou ela disse o que o autor da redação está citando ou ele é amigo pessoal da roqueira para imaginar o que ela diria sobre o assunto. c) Jogar a questão para o leitor pode até ter um efeito estético, mas não é uma evidência da afirmação que o autor insiste em considerar evidente por si mesma.

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 1,5
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 2,0
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 1,5
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 1,0
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 0,0
Nota final 6,0
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos