Redes sociais não são necessariamente redes de intrigas

NOTA 10,0

É muito provável que as redes sociais tanto ajudem como dificultem as relações entre as pessoas. Certamente, não seria difícil encontrar exemplos que ilustrassem as duas situações. No entanto, é importante levar em conta que, ao se falar em relações entre as pessoas, está-se falando numa imensa variedade de relações possíveis, que podem abranger apenas duas pessoas, um grupo relativamente pequeno de pessoas com interesses comuns, ou até mesmo toda a população de um país.

Se nos limitarmos a considerar a questão pelos aspectos apontados nos textos da coletânea, é difícil contestar uma pesquisa promovida por um doutorando de uma universidade norte-americana, apenas com o depoimento de uma mulher que conheceu pela internet o seu marido e que está casada há dois anos, um período de tempo muito breve. Igualmente, não se pode refutar a mesma pesquisa com base na declaração de amor às redes sociais que se lê no texto de Adriana Mello. Além disso, reforça muito o caráter prejudicial das redes o crime bárbaro tramado por meio de um grupo de carona no aplicativo Whatsapp.

No entanto, há outros aspectos das redes sociais, que também abrangem o relacionamento entre pessoas, que são sem sombra de dúvida positivos, e precisam ser mencionados. As redes sociais permitem o contato entre pessoas que se encontram distantes umas das outras e cujo contato pelo Facebook, por exemplo, é uma opção muito mais barata que uma ligação interurbana ou mesmo internacional. Além disso, as redes sociais são muitas vezes fontes de notícias em primeira mão. Se não me falha a memória, as notícias da deposição e morte do ditador líbio Muamar Kadafi correu mundo, antes de mais nada, pelo YouTube, com imagens chocantes de um linchamento brutal.

Também podemos acrescentar um exemplo brasileiro recente, lembrando que a convocação das diversas manifestações de ruas que acabaram resultando no impeachment da presidenta Dilma Rousseff era marcada e difundida pelas redes sociais, o que mostra a força das redes como meio de comunicação, unindo milhões de pessoas em torno de um objetivo comum. Como um fenômeno assim poderia ocorrer antes da existência das redes sociais? Campanhas como a das Diretas-Já e a do impeachment de Collor certamente demandaram muito trabalho e participação de partidos políticos para que as multidões tomasses as ruas.

Enfim, como se disse no começo, é possível apresentar argumentos favoráveis e contrários às redes sociais, o que confirma o entendimento de elas tanto podem ajudar quanto prejudicar as relações humanas, principalmente quando se leva em conta a amplitude dessas relações. Para evitar seus aspectos negativos, é preciso estar sempre alerta e tomar cuidado com as pessoas que conhecemos por meios de perfis de redes sociais, uma vez que o perfil de um santo pode camuflar a identidade de um criminoso. Igualmente, não devemos deixar nos envolver nas redes sociais a ponto de deixar de lado os relacionamentos reais e nos isolarmos no mundo virtual.

Comentário geral

Texto excelente. Muito bem estruturado, não só apresenta o tema no primeiro parágrafo, como o problematiza, de modo a poder analisá-lo por uma perspectiva mais ampla, que se encontra, principalmente no terceiro e quarto parágrafos. Aliás, é justamente o fato de ele considerar a palavra "relações" no sentido lato, que lhe possibilita desenvolver sua argumentação sem fugir do tema. Sua tese é a de que as redes sociais podem tanto ajudar quanto atrapalhar as relações e ele apresenta argumentos válidos nos dois sentidos. Por fim, extrai efetivamente sua conclusão de suas premissas e aponta ainda que brevemente uma proposta de intervenção para reduzir o caráter prejudicial das redes sociais.

Aspectos pontuais

Nada a apontar.

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 2,0
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 2,0
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 2,0
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 2,0
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 2,0
Nota final 10,0
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos