Responsabilidade com os estudos

NOTA 2,5

O ensino no Brasil está cada vez mais precário, a precário. A falta de comprometimento do governo e da população com a educação está cada vez mais nítida. Porém, a cada dia dia que passa, vemos jovens de origem humilde conquistando vagas na universidade e se formando, deixando para trás pessoas que são consideradas "escolarizadas".

Do que adianta ter um ensino de alta qualidade se os estudantes não se esforçarem? Mas será que vale apena prejudicar a minoria só por causa dos interessados?
Quando os estudantes almejam aquela uma vaga na universidade, eles buscam vários meios para conseguir conhecimento e não se limitam apenas no ao conteúdo que é oferecido na escola, vão atrás de novas outras fontes como: biblioteca como as bibliotecas e internet. É isso que diferencia os estudantes dedicados dos que apenas brincam de estudar.

É necessário de necessária uma intervenção do governo na educação, pois esses jovens dedicados aos estudos necessitam receber apoio como: matérias, como matérias e ensino com qualidade. E os jovens desinteressados precisam de incentivos para que comecem a se interessar cada vez mais pela vida acadêmica.

Portanto, estudantes mais esforçados tem têm mais sucesso do que aqueles que ficam apenas parado, independente se estuda ou não em escola pública. Contudo parados, independentemente de estudarem ou não em escolas públicas. Contudo, por mais que haja estudantes interessados em aprender aprender, é preciso ter um suporte por parte do governo, que dê uma base a esses jovens para que eles possam aderir cada vez mais ao conhecimento.

Comentário geral

Texto fraco, marcado por trechos confusos, ambíguos ou incompreensíveis. Além disso, trata-se de quatro declarações avulsas em que o aluno parece não saber exatamente qual o seu ponto de vista sobre o assunto: tanto afirma que o esforço individual é o fundamental para obter sucesso nos estudos, quanto afirma que o governo precisa intervir para melhorar a escola, sem mostrar como os dois fatos se coadunam. Além dos problemas de conteúdo, há problemas de linguagem e erros gramaticais.

Aspectos pontuais

1) Primeiro parágrafo: a frase é ambígua. Os que conquistam vagas na universidade não deixam de ser escolarizados por terem origem humilde. Aparentemente, o que o autor quis dizer é que esses jovens de origem humilde, que estudam em escolas públicas, às vezes, conseguem ultrapassar os estudantes das escolas privadas.

2) Segundo parágrafo: além de não haver conexão entre as perguntas que abrem este parágrafo e o parágrafo anterior, as questões são obscuras: o que o aluno quer dizer exatamente com elas? O leitor só pode fazer suposições, dada a falta de clareza.

3) Terceiro parágrafo: essa é a célebre sugestão genérica, que vale para qualquer coisa, dizer que é necessária uma intervenção governamental. Mas dizer que o governo deve dar matérias e ensino de qualidade é uma confusão, pois as matérias são parte do ensino de qualidade, então bastava ao aluno falar em ensino de qualidade.

4) Quarto parágrafo: o autor conclui repetindo, com outras palavras, o que já havia dito no parágrafo anterior.

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 0,5
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 0,5
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 0,5
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 0,5
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 0,5
Nota final 2,5
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos