Reversão da Orientação Sexual

NOTA 2,5

Podemos perguntar: Porque por que alguém que é homossexual irá querer fazer a "terapia de reversão de orientação sexual"? Existe algum risco para os homossexuais no Brasil se essa terapia for empregada?

Muitos homossexuais admitem terem ter tentado resistir ao homossexualismo. Uns Um dos motivos, é motivos é que sabiam da pressão e perseguição que sofreriam. Também se preocupavam com o que suas famílias iriam pensar. E outros temiam a punição de Deus. Por pensar nesses aspectos Devido a essas preocupações, muitos podem optar por livre vontade, em buscar a terapia de reversão sexual para confirmar qual é realmente a sua orientação sexual.

Porém, temos um segundo aspecto a observar, diante da aprovação dessa terapia, quais serão as consequências que os gays sofrerão? Bem, muitos familiares e amigos irão achar que basta a pessoa fazer a terapia para estar "curada". Sendo que isso não é verdade, pois o homossexualismo não é doença e a terapia irá servir apenas para ajudar a própria pessoa a se encontrar.

Logo, quanto ao aumento da violência contra os homossexuais, essa já existe em grande escala, independente independentemente de haver terapia ou não, por isso autoridades poderia aumentar a pena e sentença contra aqueles que maltratam os gays. E continuar a divulgar campanhas contra a homofobia. Sendo assim, as terapias podem ser empregadas, porém com cautela para que aquele que a procurar, não procurar não se sinta discriminado ou censurado.

Comentário geral

 

Texto muito fraco: o autor lança abruptamente duas perguntas e as responde até certo ponto nos dois parágrafos seguintes, de modo bastante confuso. Finalmente, mudando de assunto, afirma que a violência homofóbica já existe sem a terapia e que as autoridades devem tomar medidas anti-homofobia e, voltando ao tema, afirma que as terapias devem ser usadas com cautela para que os pacientes não se sintam discriminados. Ou seja, o autor não consegue criar uma dissertação coesa e coerente, nem se expressar com a clareza que se espera nessa fase da escolarização.

 

Aspectos pontuais

 

1) Primeiro parágrafo: o autor não introduz o tema, limita-se a colocar abruptamente duas perguntas sobre ele.

2) Segundo parágrafo: constitui a resposta da primeira pergunta, mas deixa de fazer sentido pela incompreensão do que é uma terapia de reversão de orientação sexual, cujo objetivo não é fazer o paciente aceitar a sua orientação sexual, mas fazê-lo mudar de orientação.

3) Terceiro parágrafo: como resposta à segunda questão, não faz nenhum sentido. A terapia iria criar um mal-entendido com amigos e familiares? Por quê? Porque eles achariam que a terapia cura e o homossexualismo não é doença? Bem, eles poderiam pensar que o homossexualismo é uma doença, mesmo que não houvesse nenhuma terapia. De resto, o autor demonstra mais uma vez que não entende o que significa reversão.

4) Quarto parágrafo: a) A conjunção logo indica uma decorrência do que foi dito antes, equivale a portanto, a por conseguinte e não é o que acontece aqui. O que se fala sobre a violência não decorre dos parágrafos anteriores. Pelo contrário, o autor diz que independentemente da terapia, a violência homofóbica é uma realidade. b) A declaração final é confusa e óbvia ao mesmo tempo. É evidente que esse tipo de terapia tem de ser tratado com discrição. Aliás, tudo que se diz a um terapeuta tem obrigatoriamente caráter sigiloso, pois se trata de assuntos íntimos dos pacientes.

 

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 0,5
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 0,5
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 0,5
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 0,5
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 0,5
Nota final 2,5
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos