(Sem título 086)

NOTA 2,0

a A polêmica desta dessa frase "bandido bom, é bom é bandido morto". Pra Para muitos pode ser favorecido favorecida a frase, mas para mim não, por quê porque não são somente os bandidos que causam, a violências, policias causam a violência. Os policiais também não são nada santinhos, descordo santinhos. Discordo totalmente sobre este desse tema de as pessoas serem a favor desta frase, violência dessa frase. Violência não era para nem existir, se o existir. Se no mundo houvesse mais amor e paciência, a violência não seria praticamente nada, a nada. A violência gera a violência, não violência. Não deveria ter haver pena de morte nem nada, porque acho que o único que pode tirar nossas vidas, é Deus, por Deus. Por mais que o bandido faça coisas erradas, que cumpre ele deve cumprir sua pena, seu castigo por anos em uma cadeia, do que e não ser morto, Deus morto. Deus nos deu o livre arbítrio de escolher nossos caminhos, assim também como sofrer com as consequências. Por isso sou contra a morte e a frase de "bandido bom, é bom bandido morto".

Comentário geral

Texto fraco, marcado pela linguagem coloquial, pelas frases mal redigidas e com muitos problemas de pontuação. Contudo, vale a pena comparar essa redação com outra intitulada A maldade esta no mundo. Naquela, os problemas de linguagem são tantos que mal se compreende o que o autor quer dizer e há trechos inteiros que nada significam. Nesta, apesar da linguagem, o autor pelo menos demonstra compreensão do tema e tenta apresentar suas razões para defender seu ponto de vista. Infelizmente, porém, ao fazê-lo, dá uma demonstração de que não sabe escrever na norma culta da língua portuguesa.

Aspectos pontuais

Parágrafo único: a) A primeira declaração é nula: não afirma nem nega nada. Não tem verbo próprio, só o da frase "bandido bom é bandido morto" e ainda assim escrita com um erro grave de pontuação. b) Pode-se concordar com uma frase ou discordar dela, mas não favorecê-la, isto é, fazer um favor à frase, pois esta é uma entidade linguística e não pessoal. c) nada santinhos é uma expressão inadequada, pois é coloquial. d) Discordo do tema, como assim? Aparentemente o autor discorda da frase e do fato de as pessoas concordarem com ela. e) Violência não era nem para existir. Como assim? Não era por quê, se ela existe? f) No Brasil não há pena de morte e estamos falando de Brasil, de 50% da população das grandes cidades brasileiras. Portanto, não é que não deveria haver pena de morte. O que o autor quer dizer, como ele mesmo disse depois, é que ele é contra a pena de morte.

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 0,5
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 0,5
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 0,5
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 0,5
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 0,0
Nota final 2,0
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos