(Sem título 100)

NOTA 5,0

A filantropia tem sido prática bastante comum entre a população em geral. Mesmo em um mundo onde as cifras importam mais do que os próprios seres humanos, o ato de ajudar ao próximo tem conquistado cada vez mais adeptos adeptos, desde bilionários até pessoas humildes.

Não é difícil encontrar indivíduos das mais diversas origens, etnias e classes sociais, dispostos a fazer o bem aos menos favorecidos. Considerando o mundo dos milionários, podemos citar o exemplo da cantora colombiana Shakira, que que, recentemente, realizou uma doação de 15 milhões de dólares para ajudar na reconstrução do Haiti, após o país ser atingido por um terremoto devastador. A atriz e cantora Demi Lovato, também Lovato também merece destaque por se dedicar ás às causas sociais, como o problema da saúde mental realizando mental, oferecendo atendimentos médicos grátis para pessoas com a doença em sua última turnê. Entre os indivíduos comuns, podemos ver que muitos, mesmo não tendo uma condição financeira tão favorável como a das cantoras citadas, procuram ajudar da melhor forma possível por meio de doações de brinquedos, alimentos ou até mesmo carinho e atenção, na certeza de que isso faz toda a diferença na vida de quem recebe e na de quem ajuda.

Assim, é imprescindível que o governo volte suas atenções para a criação de programas sociais como como, por exemplo, visitas escolares á a asilos e hospitais, para incentivar cada vez mais a população a realizar obras filantrópicas.

Comentário geral

Texto regular, com destaque positivo para o fato de ser escrito com correção e clareza. O problema grande é de conteúdo. Desde o primeiro parágrafo, o autor manifesta uma opinião sua sem se preocupar em apresentar quaisquer dados objetivos que a fundamentem e ajudem a convencer o leitor daquilo que ele diz. É o caso de questionar: se a filantropia tem crescido tanto assim, por que é que ainda existe tanta gente necessitada na maior parte dos países do mundo? Tem alguma coisa nessa estimativa que não confere. Quando o autor cita exemplo de milionários, ele traz fatos concretos que não podem ser discutidos. Quando fala da gente comum, entretanto, ele não dá nenhum exemplo que torne sua afirmação inquestionável. A conclusão também é ruim, em primeiro lugar porque o governo não faz filantropia. Ele presta serviços à população em troca dos tributos que cobra. Isso não é doação, que é o que caracteriza o ato filantrópico.

Aspectos pontuais

1) Primeiro parágrafo: quanto a questões linguísticas e gramaticais, nada a apontar, mas, como dissemos no comentário, como o leitor pode comprovar o que o autor afirma, se não lhe são apresentados fatos concretos, estatísticas, nenhum tipo de prova. Não basta o autor acreditar no que afirma. É necessário convencer o leitor. O maior objetivo de um texto dissertativo é persuadir o leitor, levá-lo a concordar com o autor.

2) Segundo parágrafo: a) realizando dá a impressão que é a própria cantora que presta os serviços médicos, ou seja, que ela realiza o atendimento. Ora, evidentemente, não é esse o caso, mas a escolha de um verbo inadequado gerou a ambiguidade. b) A doença? Como assim? Que doença? O autor parece se referir a doenças, de um modo geral. c) Podemos quem? A quem o autor inclui nesse nós? O leitor talvez não veja isso. Atitudes altruísticas e filantrópicas, infelizmente, parecem ser muito mais uma exceção do que uma regra.

3) Terceiro parágrafo: é lamentável! Vamos dizer que o autor perdeu definitivamente a inspiração. Programa social de governo não é filantropia, como já dissemos. Além disso, por que as visitas de estudantes (parte da população) a asilos e hospitais incentivariam toda a população à filantropia? Esse tipo de contato pode tanto gerar compaixão, como aversão, principalmente se for algo obrigatório, em vez de voluntário. 

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 1,5
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 1,0
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 1,0
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 1,0
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 0,5
Nota final 5,0
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos