Topo

Educação

Banco de Redações

O UOL corrige e comenta 20 redações. Envie a sua sobre o tema da vez


REDAÇÕES CORRIGIDAS - Novembro/2019 Um réu deve ou não ser preso após a condenação em 2ª. instância?

Redação corrigida 440

Sim à condenação em segunda instância

Inconsistente Erro Correção

Recentemente há uma discussão que está em andamento no Supremo Tribunal Federal, se o réu aguarda o julgamento em liberdade ou é preso no máximo em segunda instância. Muitas vezes é necessário rever o caso para não haver injustiça, pois cada caso é um caso, mas em determinados casos, quando as evidências são comprovadas na primeira instância, é necessário expedir a prisão do réu logo no início, por fazermos parte de um país que permite certas liberdades e facilidades, como por exemplo o caso do ex-presidente Luis Luiz Inácio Lula da Silva que está sendo acusado por vários processos.

Nesses últimos anos anos, o que mais vemos e acompanhamos de notícias no país é que o mesmo está respondendo por vários processos (do sítio em Atibaia, tríplex no Guarujá, envolvimentos por receptação de benefícios por licitações, entre outros), mas como a justiça aqui no Brasil é lenta e está mais que comprovando o seu envolvimento direto nestes casos, faz-se necessária a prisão imediata para não haver a liberdade de pedir asilo político a outros países e assim permitir-se ficar livre.

Enquanto não tivermos uma justiça precisa, eficiente e certeira, todos sem exceção devem cumprir a mesma regra para que não haja injustiça perante os demais.

Comentário geral

Sob o ponto de vista gramatical, o texto é até razoável, não fossem as confusões e ambiguidades que se apresentam desde o título. O que está em questão não é a condenação mas a prisão após o julgamento em segunda instância. Aliás, logo no primeiro trecho do texto assinalado em vermelho, o autor demonstra que não entendeu essa questão que constitui o tema. Não bastasse isso, o autor mal consegue expressar seus pontos de vista, por misturar em suas afirmações elementos de natureza diversa, como dizer que a justiça é lenta e que a culpa do ex-presidente está mais do que provada. Mas, quando se pensa nos fatos, o texto os apresenta de maneira ainda mais incorreta. É como se o autor não soubesse que o ex-presidente já estava preso há mais de um ano, antes de o STF decidir que só pode ocorrer prisão após esgotados todos os recursos. Falar em asilo político também é mostrar desconhecimento das questões atuais, pois, em vez de pedir asilo, o ex-presidente parece já estar em campanha para a próxima eleição presidencial. Enfim, infelizmente, o texto é confuso e equivocado a tal ponto, que nem vale a pena comentar competência por competência. O exame do todo é suficiente para desqualificá-lo.

Competências avaliadas

As notas são definidas segundo os critérios da pontuação do MEC
Título nota (0 a 1000)
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 120
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 80
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 80
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 80
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 80
Nota final 440

Redações corrigidas

Título nota (0 a 1000)

Os textos desse bloco foram elaborados por internautas que desenvolveram a proposta apresentada pelo UOL para este mês. A seleção e avaliação foi feita por uma equipe de professores associada ao Banco de redações.

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012.

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.