Terceirização do trabalho

NOTA 5,0

A terceirização do trabalho tem sido um tema bastante discutido atualmente. Segundo o presidente do Tribunal Regional do Trabalho, Wilson Fernandes, com a aprovação da lei sobre esse regime, haverá uma grande precarização do trabalho.

Se Se, com as leis e direitos que temos hoje com a CLT, muitos trabalhadores já se sentem pouco favorecidos, com a terceirização do trabalho trabalho, esses direitos seriam praticamente desconsiderados, ou seja, terceirizar seria o mesmo que abrir mão de direitos como férias anuais remuneradas e DSR, direitos outrora conquistados.

Entretanto, enquanto uns se prejudicariam com a terceirização, outros se beneficiariam com ela beneficiariam, como as empresas que poderiam dispensar 10 funcionários e contratar outros 10, através de uma empresa terceirizada, com o salário inferior ao anterior e sem seus direitos trabalhistas, aumentando assim seu lucro.

Portanto, medidas são necessárias para resolver o impasse. Em parceria com as empresas e sindicatos, o Ministério do Trabalho deve discutir medidas que não venham a afetar os direitos dos trabalhadores, bem como a redução do salário dos mesmos, mantendo assim o equilíbrio entre empregado e empregador.

Comentário geral

 

Texto razoável, particularmente em termos de estrutura e de linguagem, em que se nota a preocupação de apresentar com clareza um raciocínio bem articulado. Por outro lado, tem um caráter superficial: o autor aceita a tese do presidente do TRT e se limita a desenvolvê-la, sem fazer acréscimos, além de exemplos. Claro que o autor tem o direito de concordar com quem quiser, mas ele precisa justificar sua opinião com argumentos seus, para mostrar que tem entendimento pessoal do tema, que é capaz de discorrer sobre ele e não se limitar a argumentos alheios. De qualquer modo, fora o segundo parágrafo, que apresenta problemas estruturais mais graves, o texto merece uma boa avaliação, ainda que seja pela nota positiva mínima.

 

Aspectos pontuais

 

1) Segundo parágrafo: a) a ideia que o autor quer transmitir é: se com a CLT o trabalhador já se sente desprotegido, imagine como se sentirá quando terceirizado. Seu foco é o trabalhador. É com a perspectiva dele que o parágrafo se inicia. Contudo, o autor muda de foco na segunda parte, dizendo que os direitos garantidos pela CLT serão desconsiderados. Então, o paralelismo que ele quer traçar entre a situação antes e depois da terceirização não se realiza. b) Não bastasse isso, convém lembrar que a lei da terceirização não aboliu a CLT, que continua em vigor, enquanto uma reforma trabalhista mais ampla está sendo discutida no Congresso. c) É bom ser cuidadoso com o uso de siglas, é melhor deixar claro o que elas querem dizer. CLT, vá lá, é uma sigla muito mencionada que todo estudante do ensino médio deve conhecer, mas e DSR? Não seria melhor deixar de lado a preguiça e dizer que se trata de Descanso Semanal Remunerado?

2) Quarto parágrafo: a) Medidas são necessárias para resolver o impasse é um clichê de valor meramente retórico. O que realmente conta vem depois dessa frase, por sinal, mais uma vez, com a mesma palavra medidas. Então, aparentemente, as medidas necessárias são a discussão de medidas... b) Não cabe ao Ministério do Trabalho discutir nem legislar. O fórum para essas atividades são o poder Legislativo.

 

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 1,0
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 1,0
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 1,0
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 1,0
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 1,0
Nota final 5,0
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos