Usar a violência para afastar a violência não é uma solução

NOTA 3,5

A pena de morte não é uma invenção atual, ela teve a sua origem na Antiga Grécia por volta de 1750 a.c. O Brasil adotou esta ação em 1876 contra crimes civis, porém de acordo com o Código Penal Penal, foi proibida no ano de 1889, com a Proclamação da República.

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Datafolha em Setembro de 2014, revelou que 52% dos brasileiros são contra a pena de morte, enquanto 43% se posicionaram a favor. Com isso, a maioria da população brasileira acredita que desta maneira as criminalidades no país, não irão ser resolúveis

Contudo, caminhamos lentamente em direção a uma solução para o problema. A pena capital ou como própria ou, como propriamente dita, a pena de morte, é uma prática muito violenta, e além disso, não seria um ato certo para diminuir os crimes em geral.

Portanto, medidas são necessárias para resolver o impasse. Assim como, disse o filósofo Jean-Paul Sartre, a violência, seja qual for a maneira como ela se manifesta, é sempre uma derrota. Sendo assim, em parceria com o Ministério da Justiça, a Polícia Civil deve reforçar a segurança, se aprofundar mais nas investigações e punir os criminosos de acordo com a lei específica. É fundamental que a Receita Federal faça investimentos com uma maior parcela dos impostos arrecadados para acudir os presídios, por conseguinte, os crimes serão diminuídos.

Comentário geral

Texto fraco. Não é uma dissertação, mas um conjunto de declarações avulsas e equivocadas, que não chegam a nenhuma conclusão, nem poderia, pois não há argumentação. Só exposição de fatos desconexos e uma única tomada de posição em relação ao tema no terceiro parágrafo.

Aspectos pontuais

1) Primeiro parágrafo: a) a afirmação histórica não tem fundamento científico: muito antes dos gregos, os egípcios já adotavam a pena de morte e é provável que ela seja ainda mais antiga. b) Qual a relação entre a Antiguidade e a história do Brasil há nessas duas declarações? Nenhuma, além de uma tentativa de datação equivocada da pena de morte.

2) Segundo parágrafo: além dos erros gramaticais, o autor não leu ou não entendeu as pesquisas citadas na proposta, que revelam que a maioria dos brasileiros são favoráveis à adoção da pena de morte.

3) Terceiro parágrafo: a) caminhamos lentamente para a solução de que problema? A criminalidade ou a tentação de adotar a pena de morte? E com que base o autor afirma que o Brasil avança lentamente nesse rumo? b) O que o autor entende por ato certo? Um ato justo? Por que a pena de morte é injusta? É o autor quem deve dizer, não o leitor.

4) Quarto parágrafo: a) Não há impasse nenhum. Há quando muito um problema, que evidentemente só se resolve se medidas forem tomadas. b) A citação de Sartre é gratuita, veio a propósito de nada, apenas para o autor exibir conhecimentos. c) A escolha das instituições mencionadas é aleatória. d) A Receita Federal não tem essa função.

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 1,0
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 1,0
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 0,5
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 0,5
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 0,5
Nota final 3,5
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos