Vamos falar sobre isso até que não aconteça mais

NOTA 10,0

No mês de maio deste ano, ocorreu um crime bárbaro que chocou o brasil Brasil provocando as mais diversas manifestações de indignação: o estupro coletivo de uma adolescente de 16 anos no Rio de Janeiro foi o principal assunto de várias manchetes brasileiras.

Não só o corpo da vítima foi violado por 33 homens como imagens do ato foram registradas e divulgadas nas redes sociais pelos próprios criminosos. Como se não bastasse ter sofrido essa violência, ela foi culpabilizada por muitos através das redes sociais, recebeu milhares de críticas e ameaças de morte vindas de pessoas do país inteiro. É por conta desse tipo de reação que grande parte das vítimas não denuncia os estupros e outros tipos de violência que sofre.

Independentemente do comportamento e da aparência, seja garota de programa, seja promíscua, esteja bêbada, esteja sozinha com vários homens em um quarto, nada, absolutamente nada vai justificar uma violência. Infelizmente, quando um estupro acontece, a primeira coisa que se que passa pela cabeça das pessoas é se questionar se a vítima está falando mesmo a verdade? Certamente não é o que ocorre com outros crimes, a não ser que você duvide toda vez que alguém afirma ter sido vítima de um assalto. A resposta é simples: por conta da cultura do estupro, que é muito enraizada na nossa sociedade. Basta dar uma espiada nos comerciais de cerveja, em algumas novelas e revistas. Ao disseminar termos que denigrem as mulheres, permitir a objetificação do dos corpos delas e glamurizar a violência sexual, a cultura do estupro passa adiante a mensagem de que a mulher não é um ser humano, e sim uma coisa.

O que mais revolta é que casos terríveis dessa natureza não são inéditos no Brasil e, com toda certeza, não serão os últimos. Isso porque a legislação penal vigente no país é extremamente branda a com quem comete crimes, inclusive hediondos. E infelizmente, enquanto não houver punições mais rígidas contra esses monstros, os cidadãos de bem continuarão sendo violentados e sofrendo todo tipo de atrocidade.

Portanto, medidas precisam ser tomadas a fim de combater a cultura do estupro. É necessário São necessárias punições mais severas e investir investimentos em campanhas de conscientização da sociedade. A educação é fundamental. Em casa e nas escolas, os pais e professores devem ensinar as crianças desde pequenas o respeito ao próximo, campanhas contra pequenos atos e comportamentos que legitimam a violência contra a mulher. Assim, o Brasil será referência mundial em previnir prevenir o estupro.

Comentário geral

Texto excelente para os padrões que se exige de uma redação escolar. O autor soube desenvolver a dissertação, seguindo a ordem típica de introdução, desenvolvimento e conclusão. Apresentou argumentos em defesa de seu ponto de vista e criou um texto autônomo, que pode ser lido mesmo sem conhecimento prévio da proposta, porque esta se evidencia no desenrolar do próprio texto. Há poucos erros e de pequena significação, mesmo os trechos em vermelho, mais graves, não comprometem o conjunto.

Aspectos pontuais

1) Terceiro parágrafo: A frase em vermelha ficou solta, não está bem encadeada em termos lógicos e sintáticos com o resto do parágrafo. O autor queria comparar a situação do estupro com a do assalto e mostrar que, no caso da violência sexual, existe uma mentalidade que resposabiliza a vítma, mas ele não concatenou adequadamente as ideias.

2) Quinto parágrafo: mais um problema de sintaxe, de concatenação das ideias. Ficou faltando um verbo que introduzisse o trecho assinalado em vermelho. Exemplo: "os pais e professores devem ensinar as crianças desde pequenas o respeito ao próximo, deve haver campanhas contra pequenos atos e comportamentos que legitimam a violência contra a mulher".

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 2,0
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 2,0
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 2,0
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 2,0
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 2,0
Nota final 10,0
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos