Verdade é justiça somente

NOTA 2,0

A importância da verdade na sociedade em geral é indispensável para se manter um Estado sobre todo o seu aspecto. os Os fatos de uma opinião pública e a vontade de se fazer justiça deve ser pautada devem ser pautadas em prova sólida.

É notório que os meios de comunicação falham em colocarem apresentar notícias que as às vezes não tem têm fundamento com a na verdade, e verdade e quando tem têm, não é passado de maneira claro clara, de acordo a verdade. Também é de se admirar que informações são implantada implantadas somente para serem vendidas. A necessidade de se vender notícia não pode se sobrepor a verdade dos fatos.

Quando se tem algum evento que ganha causa de polícia polícia, a vontade de se fazer justiça é muito grande, e grande e esse sentimento deve existir, e sem ela pois sem ele não há lei. Mas é essencial ter cuidado para que o desejo não seja maior que os fatos e a verdade; julgar somente com indícios não tem nada haver a ver com justiça.

Para que se tenha valores na sociedade sociedade, é fundamental que haja sinceridade; ou seja: a verdade como realmente se apresenta.

Comentário geral

Texto muito fraco, que mal chega a ser propriamente uma dissertação. Antes, é um conjunto de quatro parágrafos que fazem declarações avulsas. Somente com um esforço de boa vontade, o leitor consegue relacioná-las ao tema. O próprio título é obscuro: o que significa dizer que a verdade é somente justiça? Fraco tanto em termos de estrutura, quanto de conteúdo, o texto consegue ser pior em termos de linguagem, com orações que não obedecem a sintaxe e os mais variados erros gramaticais. O autor precisa melhorar muito para ser aprovado em exames vestibulares ou no Enem.

Aspectos pontuais

1) Primeiro parágrafo: a) parece que o autor começa querendo afirmar a importância da verdade. A verdade é importante e indispensável. Agora, não é indispensável para manter um "Estado, em todos os seus aspectos", tanto que existem os segredos de Estado, assuntos ou fatos sobre os quais o Estado se acha no direito de decretar o sigilo por décadas. b) A expressão os fatos de uma opinião pública não faz sentido. Talvez o autor quisesse dizer que, para fazer justiça, a opinião pública deve se basear em provas sólidas. Mas o trecho é obscuro.

2) Segundo parágrafo: a) A primeira declaração é ambígua e obscura, para não falar no erro de concordância verbal e na desorganização sintática. b) Notícias não são implantadas. Usa-se falar em plantar notícias. O autor talvez esteja relacionando isso ao sensacionalismo, ao falar que o objetivo de plantar notícias é alavancar vendas, procedimento que nada tem de admirável.

3) Terceiro parágrafo: por que ganha causa de polícia o autor provavelmente quer dizer: quando um fato vira um caso de polícia. Mas a vontade ou desejo de fazer justiça pode existir, independentemente de haver ou não um caso de polícia. Mas não se sabe ao certo do que o autor está tratando, pois ele não diz quem tem vontade de justiça, quem julga, o que ele entende por indícios. É mais um parágrafo obscuro.

4) Quarto parágrafo: Sinceridade significa a verdade como realmente se apresenta? Não é o que está no dicionário. De resto, a sugestão fica no âmbito do óbvio: para escapar da mentira é preciso recorrer à verdade.

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 0,5
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 0,5
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 0,5
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 0,5
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 0,0
Nota final 2,0
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos