Violência gera consequência

NOTA 2,0

A violência no Brasil, já faz parte da vida entre muitos brasileiros. E E, com isso, à a população sofre constantemente perdas familiares, gerando revolta em certos casos. Com relatos freneticamente frenéticos nos grandes meios da comunicação, a violência no país verde e amarelo, cresce gradativamente ano após ano.

Visto que, diante disso, as mortes de cidadãos não tem perspectiva de melhoria em função de leis do país.
E, por isso, o povo brasileiro, abre brasileiro abre mão de ações punitivas do estado, agregando a violência da justiça com às as próprias mãos, que que, apesar de plausível, considerando um estado omisso contra a criminalidade, torna-se um círculo vicioso que gera ainda mais agressividade.

Portanto, pode-se concluir que: que, apesar do de o Brasil ser ser, atualmente, um país violento, agir como age o mundo do crime, não nos leva à nada, o que nos remete à ideia de que o ideal, seria ideal seriaestabelecer à a pena de morte, pois pois, assim, evitaria quaisquer problemas sociais que pode vir a acarretar a vida do crime.

Comentário geral

Texto insuficiente. O autor não consegue se comunicar por escrito com um mínimo de correção e clareza. Em termos de conteúdo, o texto é muito fraco. O autor mal consegue expor objetivamente os fatos sobre os quais deve dissertar. Disso decorre que não pode existir uma argumentação. Há uma série de declarações repetitivas e desconexas. A impressão que fica é que o autor não pensou muito sobre o tema e se pôs a escrever a esmo, acreditando que cabe ao leitor preencher as lacunas que existem entre as frases, mas não é esse ao caso: cabe ao redator se fazer entender e comunicar alguma coisa.

Aspectos pontuais

1) Primeiro parágrafo: a) Seria de espantar se a violência no Brasil fizesse parte da vida dos alemães ou dos franceses. Ou seja, o autor começa falando o óbvio, que, mesmo assim, poderia ser atenuado, caso a frase fosse: A violência já faz parte da vida dos brasileiros. b) A segunda frase é confusa, pois a relação entre violência e perdas familiares é indireta. Seria necessário mostrar, primeiramente, que a violência resulta em muitas mortes, para daí falar nas perdas sofridas pelas famílias. c) Acrescenta-se uma informação já esboçada anteriormente: a do aumento da violência. Quanto ao papel frenético dos meios de comunicação nesse aumento, só o autor saberia explicar.

2) Segundo parágrafo: a) Começa com uma oração subordinada, mas orações subordinadas são subordinadas em relação a uma oração principal, que não existe nesse parágrafo. Fora isso, a frase é um disparate, que literalmente fala em mortes sem perspectiva de melhoria. A morte não pode melhorar ou piorar. É a situação que pode. b) Igualmente, agregar aqui é bitransitivo, agrega-se alguma coisa a outra coisa. No entanto, o autor não diz ao que se agrega a violência da justiça com as próprias mãos.

3) Terceiro parágrafo: a) defender a pena de morte pode ser considerado ofensivo aos direitos humanos e incorrer em zero na competência cinco. Principalmente, quando não há argumentos que sustentem racional e objetivamente essa defesa. Na verdade, o pensamento tal qual está formulado pelo autor é o seguinte: não podemos matar ilegalmente os criminosos, então vamos legalizar a pena de morte, para poder matá-los sem cometer nenhuma ilegalidade... b) como a pena de morte vai resolver quaisquer problemas sociais – quais o texto não explica! – que a vida do crime pode acarretar? É mais um disparate que não faz sentido.

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 0,5
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 0,5
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 0,5
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 0,5
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 0,0
Nota final 2,0
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos