Violência não é justiça!

NOTA 2,5

Nos dias atuais onde atuais, em que a violência já se encontra enraizada na sociedade, vem gerando discussões e questões a ser respondidas ou até mesmo solucionadas. Por isso a frase ‘’bandido bom é bandido morto‘’ vem sendo cada vez mais aceita, gerando cada vez mais violência e problemas.

A violência está cada vez mais se tornando parte do cotidiano brasileiro. Entretanto, ela esteve presente em vários momentos da história e vem se tornando mais exposta e discutida atualmente. O problema é que a violência vem aumentando cada vez mais,
tanto por parte dos bandidos quanto por parte dos policiais.

O grande problema é que a violência é aceita por grande parte da população, se esta partir de um policial ou autoridade. Porém, a partir do momento em que um policial mata um bandido, ele está agindo de forma violenta e isso irá piorar ainda mais a situação. Pois a ideia de que violência combate violência é equivocada, já que desse modo não haveria uma melhora. Entretanto, muitas vezes ocorre a morte de adolescentes inocentes, principalmente nas favelas, por uma suposta falha policial causando policial, o que causa muitas vezes revolta. A única forma de acabar com a criminalidade é reduzindo as diferenças sociais, mas não matando uma pessoa.

Portanto, após os fatos já citados citados, concluímos que a violência é um problema discutido e questionado atualmente, mas muitas vezes entra em contradição com o que seria justo. Por isso, parte da população é a favor da punição severa de criminosos. Contudo os problemas como a criminalidade não são solucionados com mais violência. Mas podem ser solucionados com a melhoria das oportunidades para as classes mais pobres. Pois iria evitar que jovens, principalmente de áreas mais carentes, busquem o caminho mais "fácil". A criminalidade fácil: a criminalidade.

Comentário geral

Texto insuficiente. O autor mal dá conta de explicar corretamente do que está falando, o que faz de modo muito genérico e superficial, além de redundante. Redundância é o problema mais gritante do texto que, desde o começo e até o fim, repete que a violência é um problema discutido e questionado atualmente. Além de restringir o conteúdo a poucas afirmações, a redundância também interfere com a estrutura do texto, que dá várias voltas sem sair do mesmo lugar.

Aspectos pontuais

1) Primeiro parágrafo: a) vem gerando não tem sujeito o que deixa a frase incompleta e sem sentido. b) Qual a diferença entre responder e solucionar uma questão? c) Por isso o quê? A rigor isso se refere ao que foi dito antes, mas o fato de a violência gerar discussões não faz com que a frase "Bandido bom é bandido morto" seja cada vez mais aceita. d) Notar a repetição das ideias com as mesmas palavras: gerar, problemas, atual...

2) Segundo parágrafo: a) antes a violência já estava enraizada na sociedade, agora a violência está se tornando cada vez mais comum. Ora, como é possível se tornar mais comum, se ela já estava enraizada? b) O autor ainda se repete, falando em antes e agora, mas o núcleo da informação é o mesmo: o aumento progressivo da violência.

3) Terceiro parágrafo: a) além dos problemas mencionados antes, agora se fala num grande problema: a aceitação da violência da parte dos policiais. Por que este é um problema maior do que a própria violência o autor não explica. b) Não existe um raciocínio que articule os fatos apresentados e mostre por que a violência não resolve o problema. O autor não consegue entender que há leis que disciplinam o uso da violência pela polícia e que é o abuso dessa violência que é ilegal. c) Matar um criminoso evidentemente não resolve o problema da criminalidade. Mas o que o autor quer questionar é a violência indevida e isso ele não consegue verbalizar.

4) Quarto parágrafo: a) o autor começa por apresentar como conclusão a própria premissa de que ele parte, desenvolvendo um falso raciocínio: a violência gera discussão, logo, a violência gera discussão. b) O verbo entrar não tem sujeito e deixa a frase incompleta e sem sentido. c) Novo uso incorreto do pronome isso. Por isso o quê? d) Supõe-se que, se o autor está falando dos pobres, ele está falando das pessoas das áreas mais carentes. O fato é que o autor mal consegue se expressar por escrito: ou lhe faltam ideias ou ele não consegue organizá-las para compor um texto.

Competências avaliadas

Itens Nota
Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita. 0,5
Compreender a proposta da redação e aplicar conceito das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo. 0,5
Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista. 0,5
Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação. 0,5
Elaborar a proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural. 0,5
Nota final 2,5
Saiba como é feito a classificação das notas
2,0 - Satisfatório 1,5 - Bom 1,0 - Regular 0,5 - Fraco 0,0 - Insatisfatório

Os textos publicados antes de 1º de janeiro de 2009 não seguem o novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. A grafia vigente até então e a da reforma ortográfica serão aceitas até 2012

Copyright UOL. Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução apenas em trabalhos escolares, sem fins comerciais e desde que com o devido crédito ao UOL e aos autores.

UOL Cursos Online

Todos os cursos