A importância do diretor escolar

Priscila Cruz

Priscila Cruz

  • Todos Pela Educação

A imagem que muitos alunos têm da diretora ou do diretor da sua escola provavelmente é de uma pessoa rígida, temida, brava. Afinal, quem nunca teve medo de ser mandado para a diretoria, não é mesmo?

Muitos filmes, seriados e novelas reforçam a ideia de que a pessoa que ocupa esse cargo é severa e rigorosa, e fica a maior parte do tempo dentro daquela sala cheia de livros e papéis.

Já nós, pais de estudantes, normalmente enxergamos o gestor escolar como aquela pessoa com quem devemos falar para resolver algum problema, seja ele de disciplina, de aprendizagem, de desempenho ou de qualquer outra coisa relacionada à vivência dos nossos filhos no ambiente escolar. Na ânsia de solucionar qualquer que seja a questão, esquecemos que esse profissional também tem inúmeras – e importantes – outras atribuições.

O gestor – que, assim como os professores, também tem um dia só dele, comemorado em 12 de novembro – é o líder da comunidade escolar. Sob sua responsabilidade estão alunos, professores, coordenadores e funcionários.

Garantir o bom funcionamento da escola é papel desse profissional. Como o regente de uma orquestra, ele deve coordenar todos os aspectos que envolvem a vida de uma escola – articulando-os sempre com os objetivos pedagógicos.

Entre as principais responsabilidades do diretor de uma escola pública, estão:

- Administrar as finanças da escola, aplicando as verbas recebidas e prestando contas à sociedade a respeito do uso dos recursos financeiros;

- Cuidar para que a escola esteja sempre limpa, segura e organizada, o que inclui questões de infraestrutura e de manutenção dos equipamentos;

- Dirigir a elaboração (e as revisões) do projeto político-pedagógico (PPP) de forma democrática, ouvindo todos os atores envolvidos na vida da escola;

- Garantir um bom relacionamento entre os membros da equipe escolar, incluindo professores, coordenadores e funcionários, gerenciando o trabalho de todos de forma saudável e construtiva;

- Acompanhar a evolução dos alunos, garantindo que todos aprendam os conteúdos a que têm direito, o que inclui ter conhecimento dos resultados das avaliações educacionais aplicadas na escola;

- Ficar atento aos problemas socioeconômicos que atingem o entorno da escola, como violência e drogas, com o objetivo de garantir que isso não interfira na rotina dos alunos, e buscar apoio da Secretaria de Educação responsável pela unidade;

- Ter amplo conhecimento da legislação educacional;

- Fazer uma administração democrática, procurando ouvir sempre os professores, funcionários e alunos, assegurando assim que a comunidade participe da escola;

- Acompanhar o andamento das políticas públicas e dos programas municipais/estaduais/federais dos quais a escola faz parte;

- Receber pais e responsáveis pelos alunos.

Bastante coisa, não? Mas essa lista enorme não significa que o gestor deva executar pessoalmente todas essas tarefas. Por isso, ele precisa ter uma boa capacidade de liderança, para que possa delegar as atividades de forma equilibrada para a equipe. É somente dessa forma que ele conseguirá dedicar o devido esforço e tempo ao principal objetivo da instituição – fazer com que todas as crianças aprendam.

Você já conhece a diretora ou o diretor da escola dos seus filhos? Não perca tempo, marque um bate-papo. Seja na rede pública ou particular, é muito importante conhecer e compreender toda a complexidade que envolve a gestão do estabelecimento de ensino. Isso cria uma relação de confiança entre a família e a escola, que também é percebida e valorizada pelos filhos.

Priscila Cruz

Priscila Cruz é fundadora e presidente-executiva do movimento Todos Pela Educação. Graduada em Administração (FGV) e Direito (USP), mestre em Administração Pública (Harvard Kennedy School), foi coordenadora do ano do voluntariado no Brasil e do Instituto Faça Parte, que ajudou a fundar.

UOL Cursos Online

Todos os cursos