2018: o ano da Educação

Priscila Cruz

Priscila Cruz

  • Banco de imagens Unsplash Images

Entre o final e o início de cada ano, muita gente projeta os desejos e as metas para os próximos 12 meses. Que tal incluir uma resolução nova neste ano: fazer de 2018 o ano da Educação, o ano em que você inicia uma nova participação? Em geral, nós desejamos que nossa vida e a de quem amamos e nos importamos melhore. Todos os brasileiros importam para nossas vidas, porque todas nossas vidas estão conectadas.

Para termos saúde, um emprego melhor, mais paz e uma vida com mais conquistas, precisamos de um País também melhor, que dê mais oportunidades para todos, que ajude cada um de nós a colocar nosso potencial em prática, que reduza as enormes e imorais desigualdades, que promova crescimento sem as constantes crises econômicas, éticas e sociais. Para tudo isso, temos de colocar a Educação verdadeiramente como prioridade, seja em nossa vida privada, seja apoiando a Educação pública. Claro que a Educação sozinha não é a salvadora da Pátria, mas sem ela ficaremos sempre imobilizados.

O descaso com a Educação, principalmente dos governos, está matando as esperanças de termos um País melhor para todos. Infelizmente não começamos 2018 muito bem. Neste início de ano, o Governo Federal vetou a verba complementar de 1,5 bilhão para o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

Uma forma de verificar se um governo realmente prioriza a Educação é avaliar o seu investimento (segundo a OCDE, nosso investimento anual por aluno é a metade da média de seus países membros). Mas, mais importante, é analisar como investe (em que, se é eficiente, se a implementação chega até o aluno etc.), quem coloca à frente da gestão educacional, como trata os professores e profissionais da Educação, como cobra resultados e dá apoio aos responsáveis por cada etapa.

E você com isso? Tem muito a fazer. Uma característica comum dos países que têm uma boa qualidade educacional é a participação da sociedade, das famílias, de cada um dos cidadãos. A força da sociedade civil pode ser enorme, pode virar o jogo.

Escreva para contato@todospelaeducacao.org.br e mande-nos mais sugestões ou conte o que você já faz pela Educação. Em nossas redes sociais (Facebook, Twitter e Instagram) sempre temos mais sugestões, acompanhe-nos por lá também. Aqui, algumas ideias para inspirar sua ação:

• Faça um levantamento do que os candidatos a Deputado Estadual e Federal fizeram pela Educação nos últimos anos e divulgue. O mesmo para os candidatos a Governador e Presidente da República. Vote pela Educação!

• Visite e dialogue com as escolas de sua região ou município para identificar formas de colaboração - como doação de livros e equipamentos, compartilhamento de conhecimentos, experiências profissionais e participação como voluntário

• Atue junto aos Conselhos Tutelares de seu município e apoie a busca ativa de crianças fora da escola

• Use suas redes sociais para colocar a Educação em evidência. Divulgue bons casos, conte histórias em que a Educação mudou vidas, faça denúncias de má gestão educacional, reconheça e valorize os bons professores

• Promova em seu ambiente de trabalho debates sobre a importância do conhecimento, da aprendizagem e dos professores na Educação e para um País melhor para todos

• Fique de olho na frequência à escola das crianças e jovens que você conhece

• Convide pessoas para formar um comitê/grupo de trabalho que acompanhe a Educação pública local e planeje ações, conjuntamente à escola ou à rede

• Envolva os alunos em eventos e fóruns de discussão sobre a vida na cidade, empreendedorismo e políticas públicas

• Promova/apoie espaços de leitura, de convivência entre jovens e de tecnologia nos quais eles possam exercitar a autonomia, a busca por mais conhecimentos e o protagonismo juvenil

• Participe e acompanhe a ação dos conselhos de apoio à Educação no município (Conselho de Alimentação Escolar, FUNDEB, Tutelar, Escolar etc.)

• Prestigie e divulgue as atividades planejadas pelas escolas de sua comunidade/cidade

• Apoie a realização de eventos culturais e esportivos em sua cidade, com a participação ativa e intensa das crianças e jovens (cultura e esporte são muito importantes para a Educação!

• Reconheça, valorize e prestigie a participação das crianças e jovens na organização e nos eventos e fóruns de discussão da cidade

Priscila Cruz

Priscila Cruz é fundadora e presidente-executiva do movimento Todos Pela Educação. Graduada em Administração (FGV) e Direito (USP), mestre em Administração Pública (Harvard Kennedy School), foi coordenadora do ano do voluntariado no Brasil e do Instituto Faça Parte, que ajudou a fundar.

UOL Cursos Online

Todos os cursos